O choque de ordem pode fazer um grande bem ao Rio de Janeiro. Nossa bagunça entre o público e o privado e entre o legal e o jeitinho vem de muito longe e nos depaupera. Mas há que se ter discernimento. Fui domingo ao Maracanã com meu filho ver a estréia do Flamengo. Há anos, estaciono perto de um viaduto e e pago ao guardador oficial. Domingo foi proibido. Tudo bem, pensei. Afinal, posso perder certa comodidade em proveito da maioria, se isso melhorar o fluxo de gente e veículos.

Reprimir a venda de bandeiras e camisas falsas é legal, pois isso lesa os clubes, mas vale ressaltar que o preço cobrado pelas marcas é proibitivo para a maioria. Coibir ambulantes é bacana, pois o estado deve proteger o negócio dos que pagam impostos.

Mas é absurda a proibição de beber antes, durante e depois dos jogos. A alegação de que evita e violência tem a mesma lógica de proibir a minissaia para evitar estupros. Não cabe ao Estado interferir na decisão de alguém de usufruir de algo legal.

Se o cidadão quiser beber, que beba. Se quiser encher a cara, que encha. O que não pode, e aí deve entrar o Estado para reprimi-lo, é importunar os outros ou a ordem pública. Alegar que é norma da Fifa, não diz nada. Não é a Fifa que organiza o Carioca.

Em O DIA, de segunda-feira há uma foto de uma família almoçando num bar perto do estádio e proibida de tomar cerveja. Triste. A ordem só tem sentido para proteger o cidadão a fazer aquilo que é o senso civilizatório, aquilo que a sociedade acredita que pode e favorece a vida em grupo.

Adulto tomar cerveja pode; brigar não pode. Fazer xixi na rua não pode, estacionar na calçada não pode, vender camisas falsas não pode. Para o que não pode, criamos a polícia e a pagamos. Eu não bebo no Maracanã, mas estou com vontade de ir à Justiça resguardando meu direito de beber.

Publicado em O DIA – 29/01/2009

Deixe um comentário

1 comment

  1. ana paula

    pode parecere exagero mas, na minha cidade passa um rio bem no meio que corta a cidade de fora a fora.
    esses dias devido as muitas chuvas o rio estava muito cheio…
    ha esse rio é reprezado para a producao de energia, ha que é distribuiba para outra cidade bem longe daqui.
    acredita que a usina esta pondo guardas para proibir as pessoas de nadarem no rio alegando que era perigoso por causa das cheias? os cidadaos da cidade que todo final de semana estao acostumados a se refrescar na beira do rio ficaram proibidos de nadar!!!!!!! eu achei um absudo alias que pode ser perigoso todo mundo sabe nos ja estamos acostumados. cado um sabe de suas capacidades e é dever dos pais olharem seus filhos!!!! agora proibir de entrar no rio? isso é um desacato as cidadaos.. pois o rio é de todos