A polícia indefesa

Qual o “produto” da polícia? Liberdade dentro da lei, segurança, enfim, a civilização

A polícia é uma das classes que sofrem maior injustiça por parte da sociedade. Lançamos sobre ela a suspeita de ser um parente próximo dos bandidos. Isso é tão errado quanto julgar negros inferiores pela cor ou gays doentes pela sua orientação sexual.

Não, não estou negando todo tipo de mazela que afeta a polícia nem fazendo apologia da repressão como pensará o caro inteligentinho de plantão. Aliás, proponho que hoje ele vá brincar no parque, leve preferivelmente um livro do fanático Foucault para a caixa de areia.

Partilho do mal-estar típico quando na presença de policiais devido ao monopólio legítimo da violência que eles possuem. Um sentimento de opressão marca nossa relação com a polícia. Mas aqui devemos ir além do senso comum.

Acompanhamos a agonia da Bahia e sua greve da Polícia Militar, que corre o risco de se alastrar por outros Estados. Sem dúvida, o governador da Bahia tem razão ao dizer que a liderança do movimento se excedeu. A polícia não pode agir dessa forma (fazer reféns, fechar o centro administrativo).

A lei diz que a PM é serviço público militar e, por isso, não pode fazer greve. O que está corretíssimo. Mas não vejo ninguém da “inteligência” ou dos setores organizados da sociedade civil se perguntar por que se reclama tanto dos maus salários dos professores (o que também é verdade) e não se reclama da mesma forma veemente dos maus salários da polícia. É como se tacitamente considerássemos a polícia menos “cidadã” do que nós outros.

Quando tem algum problema como esse da greve na Bahia, fala-se “mas o problema é que a polícia ganha mal”, mas não vejo nenhum movimento de “repúdio” ao descaso com o qual se trata a classe policial entre nós. Sempre tem alguém para defender drogados, bandidos e invasores da terra alheia, mas não aparece ninguém (nem os artistas da Bahia tampouco) para defender a polícia dos maus-tratos que recebe da sociedade.

A polícia é uma função tão nobre quanto médico e professor. Policial tem mulher, marido, filho, adoece como você e eu.
Não há sociedade civilizada sem a polícia. Ela guarda o sono, mantém a liberdade, assegura a Justiça dentro da lei, sustenta a democracia. Ignorante é todo aquele que pensa que a polícia seja inimiga da democracia.

Na realidade, ela pode ser mais amiga da democracia do que muita gente que diz amar a democracia, mas adora uma quebradeira e uma violência demagógica.

Sei bem que os inteligentinhos que não foram brincar no parque (são uns desobedientes) vão dizer que estou fazendo uma imagem idealizada da polícia.

Não estou. Estou apenas dando uma explicação da função social da polícia na manutenção da democracia e da civilização.
Pena que as ciências humanas não se ocupem da polícia como objeto do “bem”. Pelo contrário, reafirmam a ignorância e o preconceito que temos contra os policiais relacionando-a apenas com “aparelhos repressivos” e não com “aparelhos constitutivos” do convívio civilizado socialmente sustentável.

Há sim corrupção, mas a corrupção, além de ser um dado da natureza humana, é também fruto dos maus salários e do descaso social com relação à polícia, além da proximidade física e psicológica com o crime.

Se a polícia se corrompe (privatiza sua função de manutenção da ordem via “caixinhas”) e professores, não, não é porque professores são incorruptíveis, mas simplesmente porque o “produto” que a polícia entrega para a sociedade é mais concretamente e imediatamente urgente do que a educação.

Com isso não estou dizendo que a educação, minha área primeira de atuação, não seja urgente, mas a falta dela demora mais a ser sentida do que a da polícia, daí “paga-se caixinha para o policial”, do contrário roubam sua padaria, sua loja, sua casa, sua escola, seu filho, sua mulher, sua vida.

Qual o “produto” da polícia? De novo: liberdade dentro da lei, segurança, a possibilidade de você andar na rua, trabalhar, ir ao cinema, jantar fora, dormir, não ser morto, viver em democracia, enfim, a civilização.

Defendem-se drogado, bandido, criminoso. É hora de cuidarmos da nossa polícia.

Fonte: Folha de S. Paulo, 13/02/2012

RELACIONADOS

Deixe um comentário

11 comments

  1. Regina Caldas

    Além da polícia ser injustamente mal vista pelo cidadão comum, mais grave é o descaso que recebe do estado. Como se a existência do estado não dependesse dos serviços policiais que garantam a ordem interna, e a segurança externa nacionais.

    Vale repetir: não só o cidadão, mas o proprio estado depende da polícia. Ora, se é a policia que garante a segurança nacional, é assustador saber do tratamento indigno que recebe, tanto do estado quanto do cidadão.

    Num trabalho de educação para a cidadania, torna-se obrigatório conscientizar a sociedade sobre o papel fundamental exercido pela polícia, para garantir o estado de direito e a paz social. E para saber, que sem a presença da polícia sobrevém o caos.

  2. Luciano

    Assino embaixo. O policial não é mais corrupto que os demais cidadãos, mas é muito exposto a tentações financeiras que possam compensar o seu ridículo salário. Um sujeito que, como dito pelo Pondé, deixa sua família em casa e vai atrás de bandidos, arriscando sua vida, deveria receber um salário muito, muito maior que os atuais.

  3. Antonio Carlos

    Esse artigo foi muito bem elaborado, pena que poucas pessoas irão lê-lo. A policia é mal vista pelo grande maioria dos cidadãos devido a historia recente de opressão, que foi durante o período que durou a ditadura. Muitos dos que foram perseguidos hoje estão no poder, e no fundo guardam magoas.

  4. Inteligentinho da Silva

    Qual o “produto” da polícia? Liberdade dentro da lei, segurança, enfim, a civilização ?

    -NÃO! O “produto” da polícia são MILHARES DE CADÁVERES a cada ano (ou “PRESUNTOS”). Isso todo morador de comunidades populares (FAVELAS, se preferir) sabe melhor que ninguém…

    O I.M.L. é o destino oficial, porém, alguns cariocas e paulistas são desossados e viram COMIDA PARA CACHORRO.
    Human Rights Watch

  5. Inteligentinho da Silva

    Caros leitores:
    Human Rights Watch não defende a bandidagem como prega a grande mídia.
    Human Rights Watch REPUDIA a bandidagem.

    A Human Rights Watch defende sim, a tese de que muitos desses milhares de CARIOCAS E PAULISTAS ASSASSINADOS PELA PM, simplesmente NÃO ERAM BANDIDOS, e sim, INOCENTES.

    A seguir, mais um link com provas desconcertantes sobre INDÚSTRIA DA CARNIFICINA (ou de apresuntados) da PM:
    http://www.hrw.org/node/87046/section/5

    (Esta matéria, extremamente séria, fala de 11.OOO (onze mil) CARIOCAS E PAULISTAS ASSASSINADOS OFICIALMENTE PELA PM)

  6. Gilberto Naldi

    Talvez, a sociedade entenda a proximidade do policial com o crime como uma forma de associação da legalidade com a criminalidade!

  7. Inteligentinho da Silva

    Para ilustrar, aqui vai uma crônica de fato real que aconteceu comigo:
    Certa noite, no momento em que eu estava procurando as chaves no bolso para entrar em casa, um policial saindo de um bar em frente, sem mais nem menos, me disse:
    “A única coisa que a polícia me ensinou foi A MATAR . . .”
    Fiquei apreensivo mas tentei não mostrar nervosismo e estabelecer um diálogo amistoso.
    Eu disse: “Então é isso que a polícia ensina ?”
    “É isso, e é só isso que eu sei fazer na vida” foi a resposta dele.
    Felizmente ele queria apenas desabafar contra a índole dessa “FÁBRICA DE MONSTROS” que é a polícia; a qual tem o poder de deformar o caráter de qualquer cidadão de bem que inadvertidamente resolve se juntar a ela.
    Fiquei com pena desse pobre policial.
    Era um assassino digno de pena.
    Estava ali diante de mim o produto, em pessoa, de uma instituição maligna e perigosa.
    E mal sabia ele com quem estava desabafando . . .
    Coitado.

  8. INTELIGENTINHA de souza rsrs

    Pra que serve a polícia mesmo?
    Pra reprimiri, impor… e só.
    Nós BRASILEIROS herdamos dos tempos passados a pior herança que uma sociedade poderia herdar. DITADURA!
    Pois é, meus caros, vocês pensam que escapamos dela? Engano os seus. Vivemos uma ditadura disfarçada, mascarada de democracia.
    O Estado tem a informação e o poder da educação em suas mãos. E o que eles fazem? Controlam o conhecimento …
    E a PM, se beneficia disso, diz que é a LEI, e faz o que bem entende com a população. Esquecem os anos que ja passamos. Não mudaram as atitudes que o tempo implicou a eles.
    Ignoram o RESPEITO.

  9. Inteligentíssimo

    Sr. Inteligentinho e Sra. Inteligentinha (se é que não são as mesmas pessoas), com essa imaginação deveriam escrever novelas kkkkk, façam o seguinte: Como os Srs. não precisam da polícia, esqueçam o 190, o 191 e tentem viver sem ter a cara de pau de atacar o policial pelas costas e pedir ajuda quando seu carro quebra em uma rodovia à noite, ou ouve um barulho em seu quintal durante a madrugada, mas peço que esqueçam mesmo, pois se em vez disso os Srs. telefonarem pedindo ajuda com certeza uma viatura irá atendê-los. Ah ! a fábrica de carniça existe mesmo, mas aqueles que lá estão só valem isso: UM MONTE DE CARNIÇA.

  10. Carlos

    Caros amigos,
    O inteligentinho e a inteligentinha fazem parte da tropa de patrulha cibernética, especialmente treinada para vasculhar artigos de interesse e então bombardear seu lixo intelectual subversivo.
    Não tentem confrontá-los, eles são muito bem treinados!
    Senhor Luiz Felipe Ponde, obrigado por nos brindar com um texto muito bem escrito e ponderado!
    Tomo a liberdade de publicá-lo em meu blog e naturalmente citarei a fonte.
    Carlos, simplesmente inteligente.

  11. izaias

    Embora acredite no progresso democrato como um fato, creio também que estamos muito mais próximo do seu inicio que do seu fim.