Terça-feira, 6 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Educação previdenciária

Tenho 25 anos de dedicação à previdência. A principal lição que aprendi é que o ser humano se prepara muito mal para o futuro. E falo por experiência própria: agora que começo a me aproximar da idade de aposentadoria, vejo como foi fundamental que, quando comecei a trabalhar, tenham me botado um papel na mão e dito “assina aqui”, para me filiar a um fundo de pensão. Pelos caminhos da vida, acabei me tornando especialista no tema, mas, aos 22 anos, se dependesse de mim, sem ter pensado no assunto, provavelmente teria optado por ficar com o dinheiro das contribuições para “depois ver o que fazer”.

No Brasil, então, o despreparo do ser humano para a vida financeira é dramático. Nós que estamos na meia idade, há 30 ou 40 anos; e nossos filhos, hoje, tivemos que cair na estrada tendo recebido uma intensa doutrina anticapitalista na maioria das aulas de história ou geografia, mas sem saber responder a questões que farão parte de nossa trajetória, tais como: “Quanto devo poupar a partir dos 20 anos para, aos 30, dar uma entrada na compra da casa própria?” ou “Quanto devo poupar por mês a partir dos 25 anos para ter uma aposentadoria complementar?”. Sou da opinião de que o país deveria ter no curriculum obrigatório do ensino médio, no segundo ano, a matéria “Educação financeira” e, no terceiro, “Educação previdenciária”.
Com o intuito de dar uma contribuição nesse sentido e aproveitando a experiência adquirida nesses anos todos, com o professor Sérgio Barbosa Villas-Boas, da Escola Politécnica da UFRJ, desenvolvemos um site aberto e livre (www.pensione21.com) para dar conta da resposta a algumas das perguntas que, em algum momento, os adultos que têm a possibilidade de ter uma renda maior do que os seus gastos, começam a se fazer. O site está disponível para qualquer usuário e quero aqui compartilhar com os leitores as suas principais características.

Ele permite responder a perguntas como:

1- Qual é o valor da contribuição mensal requerida para ter uma aposentadoria complementar de X a partir de uma idade Y, para diferentes taxas de juros e idades de começo da contribuição?
2- Qual é o valor da aposentadoria complementar a partir de uma idade X resultante de contribuições mensais no valor de Y, para diferentes taxas de juros e idades de começo da contribuição?
3- Qual é o capital acumulado após certo número de meses resultantes de contribuições mensais de certo valor?
4- Qual é o capital requerido para ter uma aposentadoria complementar no valor de X durante determinado número de anos?
5- Qual é a aposentadoria complementar associada a um determinado valor do capital inicial?

O site permite gerar tabelas e fazer gráficos com cada uma das simulações. Se nosso esforço permitir a algumas pessoas preparar-se melhor para o futuro, terá valido a pena.

Fonte: Valor Econômico, 13/04/2016.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.