Só o empreendedor salva

Dentre as diversas reformas estruturais necessárias ao Brasil, uma delas tem sido ignorada pelas autoridades das três esferas: a reforma legislativa, ou o “Revogaço”. O País tem um grande passivo legislativo, um emaranhado de leis, decretos, portarias, e normas que restringem a liberdade do indivíduo e infernizam a vida de pessoas e empresas. Esse passivo precisa ser combatido urgentemente para que criemos condições para um desenvolvimento social e econômico saudável.

Veja mais de Helio Beltrão:
Helio Beltrão fala sobre o crescimento do movimento liberal
Injustiças e penitência social

Se você não concorda, ponha-se no lugar dos micro-empreendedores de Joinville (SC) que, por legislação municipal, são proibidos de operar seus food trucks em horário comercial. Ou dos varejistas de São Paulo que só podem receber seus produtos nas lojas durante as noites e madrugadas.

O empreendedor hoje é mais importante para o Brasil que Pelé. Ele é o cara que observa, percebe um ponto específico para melhorar a vida das pessoas, investe tempo, compra insumos, contrata colaboradores e no fim do dia o mundo está melhor. É assim desde que o homem dominou o fogo e assim será para sempre.

Albert Einstein escreveu em “Sobre Ciência e Religião” que o ideal de uma sociedade é que cada indivíduo seja livre para alcançar o seu melhor. Isso vem em benefício de todos. O empreendedor tem essa característica: quando livre para empreender, traz vantagens às pessoas.

O campo da tecnologia da informação e o mundo dos aplicativos têm sido áreas efervescentes no empreendedorismo. O Brasil já tem cases de sucesso internacional, como o aplicativo Easy Taxi, fundado por Tallis Gomes, que recebeu grande aporte de capital e hoje opera em 12 países.

É justo imaginar que o Brasil estaria bem mais próspero não existissem aberrações como a resolução 64 de julho de 2000, da Anvisa, que define legalmente o que é o capuccino e dispõe sobre quais produtos devem constar na bebida e como deve ser seu aspecto depois de preparada. Você, empreendedor, certamente é atacado por exemplos assim todos os dias. Lembra da tomada de três pinos?

Menos regulações, mais prosperidade. Revogaço já!

Fonte: “DCI”, 14/09/2017

RELACIONADOS

Deixe um comentário