Liberdade, saber e trabalho

Existe uma combinação infalível, uma receita certa para o sucesso de qualquer agrupamento humano: reúna em uma comunidade pessoas que valorizam verdadeiramente a liberdade, o saber e o trabalho, deixe que essas pessoas criem instituições fundadas nesses conceitos e esse grupo irá, por certo, florescer. Não há erro, não há dúvida, pois uma sociedade fundada e organizada com foco na liberdade individual, na busca constante do saber e no trabalho duro acaba inevitavelmente obtendo sucesso.

É o que mostra, em letras claras, a história da humanidade. Parece, no entanto, que nosso país, nossa gente e nossos líderes, por ignorância ou falta de virtude, em regra, não percebe esse fato. No Brasil, gozamos de certa liberdade, mas é uma liberdade com ressalvas, com obstáculos, com desconfianças. A liberdade individual não é bem compreendida e é constantemente atacada e tolhida. Ideias coletivistas e estatizantes são vistas com simpatia e atraem boa parte da nossa população.

No Brasil, gozamos de certa liberdade, mas é uma liberdade com ressalvas, com obstáculos, com desconfianças

Quanto ao saber, é verdade que há certo investimento em educação, uma quase universalização do ensino básico, mas nos falta um genuíno amor ao conhecimento. Os pais não o transmitem aos filhos e as escolas tampouco o fazem, preocupadas que estão com as estatísticas oficiais, que em nada melhoram a qualidade do ensino. Não basta simplesmente investir mais recursos no ineficiente sistema educacional brasileiro, é necessário uma mudança de cultura, é necessário que cada pai e mãe reconheça e transmita para os seus filhos a importância do saber, da leitura, do exercício intelectual.

Se, enquanto sociedade, continuamos progredindo em passos miúdos e não conseguimos acelerar o nosso progresso é, em boa parte, porque nos falta maior apreço pela tríade em comento. Não há nada que impeça o Brasil de mudar o seu rumo e seguir essa receita de sucesso. Basta não ceder aos vícios, basta acreditar que o homem atinge a sua plenitude quando livre, culto e produtivo.
Finalmente, repito, uma sociedade formada por homens que acalentam verdadeiramente em seus espíritos o amor pela liberdade, pelo conhecimento e pelo trabalho floresce em todas as dimensões do humano, na dimensão política, econômica, artística ou em qualquer outra.

RELACIONADOS

Deixe um comentário