Com Eduarda La Rocque, secretária de Fazenda do Município do Rio.

A poucos dias de completar dois anos da administração Eduardo Paes, é hora de prestar contas e mostrar alguns resultados. Em 2009, assumimos uma prefeitura com as finanças comprometidas, uma estimativa de arrecadação superestimada para o ano e uma crise internacional profunda. A conjuntura impunha cautela e planejamento estratégico para recuperar a capacidade de investimento e investir com critério e inteligência. O futuro exigia um salto na qualidade de educação do município.

O Rio ultrapassou a crise. Enxergamos 2009 pelo retrovisor, com o olhar do dever cumprido. A modernização da gestão, com a Nota Carioca e o Sistema de Inteligência Fiscal, a eficiência na fiscalização trouxeram ganhos. Após rigoroso ajuste, alcançamos, apesar do ano de crise, um superávit primário equivalente a 12% das receitas, percentualmente o mais significativo do país. A reestruturação da dívida com o Banco Mundial significará uma economia de mais de R$ 2 bilhões com juros. Teremos, nos próximos 15 meses, R$ 550 milhões a mais para investimentos.

Pouco adiantaria se o esforço não fosse traduzido em resultados concretos. Tomemos o exemplo da educação. O orçamento subiu mais de 30% de 2008 para 2010 e atingirá, este ano, a cifra recorde de R$ 2,85 bilhões.

Já no primeiro dia do governo, veio o fim da aprovação automática. Desde então, contratamos cerca de 5.576 professores e implementamos um currículo unificado claro, com provas bimestrais. O reforço escolar já realfabetizou mais de 20.600 crianças do 3º ao 6º ano. A aceleração tem corrigido as defasagens idade-série a partir de dois anos para 19.312 alunos.

O bom resultado da economia permitiu ainda investir no reforço de aprendizagem, com professores dedicados, com estagiários na escola e mais de 230 mil crianças do 3º ao 9º ano beneficiadas. O Escolas do Amanhã, com 151 escolas e 107 mil alunos, elevou a um novo patamar de ensino essas unidades, que ficam em áreas conflagradas. Das 290 escolas premiadas com metas de melhoria do Ideb, 53 estão no projeto. As creches terão, em fevereiro, um professor formado em cada sala, inclusive no berçário. E, desde o ano passado, curso normal a 1.600 agentes auxiliares de creche.

Os resultados foram impressionantes: um aumento expressivo no Ideb nos anos iniciais de 4,5 para 5,1. A nota padronizada na Prova Brasil dos alunos do 9º ano subiu para 4,85 contra 4,60 em 2007. O Ginásio Carioca, criado para melhorar o ensino do 6º ao 9º ano, vai trazer o século XXI para as escolas com a Educopédia, portal de aulas digitais.

Ainda existe muito a ser feito. Mas rever esses dados nos dá a exata dimensão de que estamos no caminho certo.

Artigo publicado no jornal “O Globo”, dia 15/11/10

RELACIONADOS

Deixe um comentário