O número um da Revista Time

O presidente Lula é um dos líderes mais influentes do mundo, segundo lista divulgada pela revista americana ‘Time’. No release divulgado pela revista, o cineasta Michael Moore assina texto elogiando o presidente brasileiro e seu programa “Fome Zero” (ignorância ou má-fé? Em se tratando do autor do “documentário” em prol da medicina cubana, só pode ser a última opção mesmo).

Alguns petralhas, com forte complexo de “vira-latas” (eles odeiam tudo que vem do capitalismo ianque, mas vibram com qualquer elogio de lá), rapidamente celebraram, e a turma da “guerrilha virtual” de Dilma aproveitou para mandar spam com a novidade (eu fui uma das vítimas, pois estou involuntariamente na lista de emails dos fakes petralhas, que mandam cerca de dez mensagens por dia em prol da candidata petista – uma vez clandestinos…).

A revista não anuncia um ranking dos mais influentes; apenas a lista completa. Mas mesmo assumindo a mentira rapidamente disseminada pelos petralhas, de que Lula é o mais influente de todos, bastava uma rápida pesquisa, até mesmo na Wikipedia, para ver que não há muito que comemorar com esta notícia. Eis o que diz a “enciclopédia” popular sobre o título “pessoa do ano”, criado pela revista:

“O título é freqüentemente confundido como uma honra. Muitos, incluindo alguns membros da imprensa dos EUA, continuam a perpetuar a idéia de que a posição de ‘Pessoa do Ano’ é um prêmio ou recompensa, apesar das freqüentes declarações da revista dizendo o contrário. Parte da confusão parte do fato de que muitas pessoas admiráveis (sob certo ponto de vista) receberam o título — talvez a maioria. Por isso, alguns jornalistas descrevem a nova pessoa do ano como mais uma no ‘grupo’ de vencedores passados como Martin Luther King. O fato de que pessoas como Adolf Hitler já receberam o título é pouco conhecido.”

Pois é, petralhas. Hitler, aquele que ajudou a fundar o Partido dos Trabalhadores na Alemanha, aquele defensor do nacional-socialismo, aquele que contava com um marqueteiro profissional para enganar o povão, aquele que conquistou amplo apoio popular com sua retórica sensacionalista e antiliberal, enfim, aquele mesmo que foi responsável pelo Holocausto, já foi o “homem do ano” desta mesma revista. Além dele, outro que consta na lista é Aiatolá Khomeini, que foi o vencedor em 1979. Uma turma influente, sem dúvida. Mas ninguém diria que a influência foi positiva! Ou quase ninguém…

Para piorar a coisa, está na mesma lista deste ano a ex-candidata Republicana Sarah Palin. Sim, essa mesmo, que foi ridicularizada pela esquerda toda – não sem boa dose de razão. Em suma, Lula é um dos homens mais influentes do ano (e não o mais influente, como os petralhas querem acreditar e enganar por aí), diz a revista sob aplausos dos petralhas. E Sarah Palin é uma das mulheres mais influentes, para uma revista que já colocou Hitler e Khomeini no topo da influência mundial. Tudo isso com os elogios de Michael Moore, que ninguém mais consegue levar a sério. Motivo para regozijo dos petralhas. Lula é o cara! Foram os ianques que disseram… então é fato!

Resta agora apenas o Prêmio Nobel da Paz mesmo. Nada mais justo! Se o terrorista Arafat já ganhou o seu, por que Lula deveria ficar de fora?

RELACIONADOS

Deixe um comentário

3 comments

  1. Cristiana Castro

    Vc ficou muito estressado com a referência a Lula. Não devia. Lula é o seu presidente. O presidente de seu país. No fundo eu sei que vc está orgulhoso.

  2. Nabucodonosor Vieira

    mané preconceituoso

  3. Letícia Martins

    Já recebi e-mail fazendo comparações absurdas do início do governo FHC com o “MELHOR MOMENTO” do governo do LULA. Poxa não sou economista mas sei que em qualquer ciência comparações requer “iguais momentos”.
    A sua trata disso.