O PT não gosta da democracia. E não é de hoje. Desde sua fundação foi predominante no partido a concepção de que a democracia não passava de mero instrumento para a tomada do poder. Deve ser recordado que o partido votou contra a aprovação da Constituição de 1988 – e alguns dos seus parlamentares não queriam sequer assinar a Carta. Depois, com a conquista das primeiras prefeituras, a democracia passou a significar a possibilidade de ter acesso aos orçamentos municipais. E o PT usou e abusou do dinheiro público, organizando eficazes esquemas de corrupção. O caso mais conhecido – e sombrio – foi o de Santo André, no ABC paulista. Lá montaram um esquema de caixa 2 que serviu, inclusive, para ajudar a financiar a campanha presidencial de Lula em 2002. Deve ser recordado, que auxiliares do prefeito Celso Daniel, assassinado em condições não esclarecidas, hoje ocupam posições importantíssimas no governo (como Gilberto Carvalho e Míriam Belchior).

Antes da vitória eleitoral de 2002, os petistas já gozavam das benesses do capitalismo, controlando fundos de pensão de empresas e bancos estatais; e tendo participação no conselho gestor do milionário Fundo de Amparo ao Trabalhador. Os cifrões foram cada vez mais sendo determinantes para o PT. Mesmo assim, consideravam que a “corrupção companheira” tinha o papel de enfrentar o “poder burguês” e era o único meio de vencê-lo. Em outras palavras, continuavam a menosprezar a democracia e suas instâncias.

Chegaram ao poder em janeiro de 2003. Buscaram uma aliança com o que, no passado, era chamado de burguesia nacional. Mas não tinham mudado em nada sua forma de ação. Basta recordar que ocuparam mais de 20 mil cargos de confiança para o partido. E da noite para o dia teve um enorme crescimento da arrecadação partidária com o desconto obrigatório dos salários dos assessores. Foi a forma petista, muito peculiar, de financiamento público, mas só para o PT, claro.

Não satisfeitos, a liderança partidária – com a ativa participação do presidente Lula – organizou o esquema do mensalão, de compra de uma maioria parlamentar na Câmara dos Deputados. Afinal, para um partido que nunca gostou da democracia era desnecessário buscar o debate. Sendo coerente, através do mensalão foi governando tranquilamente e aprovando tudo o que era do seu interesse.

O exercício do governo permitiu ao PT ter contato com os velhos oligarcas, que também, tão qual os petistas, nunca tiveram qualquer afinidade com a democracia. São aqueles políticos que se locupletaram no exercício de funções públicas e que sempre se colocaram frontalmente contrários ao pleno funcionamento do Estado democrático de Direito. A maior parte deles, inclusive, foram fieis aliados do regime militar. Houve então a fusão diabólica do marxismo cheirando a naftalina com o reacionarismo oligárquico. Rapidamente viram que eram almas gêmeas. E deste enlace nasceu o atual bloco anti-democrático e que pretende se perpetuar para todo o sempre.

Partido tem plena consciência que sua permanência no poder exigirá explicitar cada vez mais sua veia anti-democrática

As manifestações de desprezo à democracia, só neste ano, foram muito preocupantes. E não foram acidentais. Muito pelo contrário. Seguiram e seguem um plano desenhado pela liderança petista – e ainda com as digitais do sentenciado José Dirceu. Quando Gilberto Carvalho disse, às vésperas do Natal do ano passado, que em 2013 o bicho ia pegar, não era simplesmente uma frase vulgar. Não. O ex-seminarista publicizava a ordem de que qualquer opositor deveria ser destruído. Não importava se fosse um simples cidadão ou algum poder do Estado. Os stalinistas não fazem distinção. Para eles, quem seu opõem às suas determinações, não é adversário, mas inimigo e com esse não se convive, se elimina.

As humilhações sofridas por Yoani Sánchez foram somente o começo. Logo iniciaram a desmoralização do Supremo Tribunal Federal. Atacaram violentamente Joaquim Barbosa e depois centraram fogo no ministro Luiz Fux. Não se conformaram com as condenações. Afinal, o PT está acostumado com os tribunais stalinistas ou com seus homólogos cubanos. E mais, a condenação de Dirceu como quadrilheiro – era o chefe, de acordo com o STF – e corrupto foi considerado uma provocação para o projeto de poder petista. Onde já se viu um tribunal condenar com base em provas, transmitindo ao vivo às sessões e com amplo direito de defesa? Na União Soviética não era assim. Em Cuba não é assim. E farão de tudo – e de tudo para o PT tem um significado o mais amplo possível – para impedir que as condenações sejam cumpridas.

Assim, não foi um ato impensado, de um obscuro deputado, a apresentação de um projeto com o objetivo de emparedar o STF. Absolutamente não. A inspiração foi o artigo 96 da Constituição de 1937, imposta pela ditadura do Estado Novo, honrando a tradição anti-democrática do PT. E o mais grave foi que a Comissão de Constituição e Justiça que aprovou a proposta tem a participação de dois condenados no mensalão e de um procurado pela Interpol, com ordem de prisão em mais de cem países.

A tentativa de criar dificuldades ao surgimento de novos partidos (com reflexos no tempo de rádio e televisão para a próxima eleição) faz parte da mesma estratégia. É a versão macunaímica do bolivarianismo presente na Venezuela, Equador e Bolívia. E os próximos passos deverão ser o controle popular do Judiciário e o controle (os petistas adoram controlar) social da mídia, ambos impostos na Argentina.

O PT tem plena consciência que sua permanência no poder exigirá explicitar cada vez mais sua veia anti-democrática.

Fonte: “O Globo”, 14/05/2013

RELACIONADOS

Deixe um comentário

9 comments

  1. Marcelo de Souza

    O PT é a alternativa política mais democrática surgida no Brasil nos últimos 25 anos. Não tem caixa 2, corrupção e desvio de x ou y capaz de negar essa realidade. A direita fascistóide tá muito paranóica, ela é que parece não gostar da democracia, desrespeita o resultado das urnas. Se o PT não gosta da democracia, quem gosta? Os ex-arena, DEM, PP, PR? A herança de Enéas PRB? Os muito mais fisiológicos PSDB, PTB, PMDB? Nem vocês acreditam nessa mentira.

  2. Paulo Semblano

    Partido ou político algum no Brasil, principalmente os das altas esferas, não gostam da democracia.
    O PT é apenas o que alcançou o ápice neste sentido: a ordem é destruir, fisicamente e/ou moralmente, todos os que o combate.
    É a peça chave para a tomada na América Latina pela ONU, subordinada à elite financeira mundial.
    O PT e seus aliados não passam de capachos, lambe botas e serviçais deste elite.
    Os outros partidos também o são, mas o PT é o que mais se afina 100% e é o mais lacaio deles.
    Participa nos bastidores da entrega da soberania nacional, das riquezas de nosso país, e da entrega de parte do território nacional.

  3. Carlos Hamilton

    Não sei se o autor chegou a vivenciar o tempo em que a futura companheirada petista enchia o peito para pregar a luta contra a ditadura militar. Eles só não diziam que o movimento objetivava na verdade nada mais nada menos do que a implantação no Brasil de diversas repúblicas democráticas no estilo cubano. República democrática cubana? Vixi! Os nossos democratas eram financiados por países comunistas puramente democráticos. Se tivessem sido bem sucedidos, o Brasil seria hoje uma colcha de retalhoes constituído de diversas repúblicas democráticas comunistas. Tudo a ver com o PT de hoje.

  4. Carlos Hamilton Santana

    O PT de hoje tem tudo a ver com a luta pela democracia contra a ditadura militar. A democriacia era apenas uma desculpa para a implementação de um Brasil constituído por diversas repúblicas democráticas comunistas no estilo cubano. Seríamos a união das repúblicas soviéticas democráticas do sul. Tudo democrático, como era a matriz.

  5. Roberto

    Caro Marco Antonio Villa,
    Voce está totalmente certo e a declaração do Gilberto Carvalho é reveladora.
    Percebe-se uma ocupação de espaços em todas as áreas possíveis e imagináveis das administrações públicas por seus adeptos empurrando para fora os opositores, num afã desesperado de consolidação à beira de grande catástrofe que se desenha no cenário nacional.Querem trazer para cá até uma 5ª coluna cubana de pseudo-médicos!
    Qual a alternativa?O PSDB do Aécio ou o PSB do Campos?
    Roberto M Sallum

  6. Fernando

    “O PT não tem caixa 2” … Essa é a maior piada que ouvi nos últimos tempos… Marcelo Souza, ou você é um ignorante bitolado ou não passa de mais um ‘petralhinha’ agarrado em alguma teta governamental que vem aqui defender o seu leitinho. Até os Petralhas mensaleiros julgados e condenados pelo STF admitiram em seus depoimentos que usaram caixa 2 (recursos não contabilizados,como os corruptos gostam de dizer). Eu sou socialista, mas recuso-me a aceitar uma quadrilha de criminosos totalitaristas como líderes para implementar o grande sonho de uma sociedade justa e igualitária. Até agora, a única coisa que é certa que fizeram foi enriquecer os próprios bolsos e estão gostando tanto disso que estão tomando todas as medidas para garantir que isso continue, mesmo que patrolando a Democracia.

  7. Nélio Domingues

    Não tem caixa 2? Ele acredita também em papai-noel.

  8. Luiz Rodrigo

    Onde o PT é a única alternativa democrática??? De onde tiraram isso??? Quem foi que escreveu esse comentário ufanista e fora da realidade??….já sei, deve ser o pseudônimo da velhinha de Taubaté…rsrsrs.

  9. Marcelo de Souza

    Nélio Domingues você visivelmente não sabe ler. Esperar uma opinião crítica sobre meu comentário seria demais. Independe do caixa 2 ou se o PT tem quadros corruptos ou não o fato do PT ser a alternativa política mais democrática do Brasil. Tanto é assim que as viuvas da ditadura e dos terroristas de estado de 1964 insistem em quer destrui-la com histeria, como nesse texto, mas não tem nada próximo de projeto democrático ou alternativo a ela. O PSOL poderia ter, a Marina, mas as viuvas tucanas neoliberais entreguistas e as viuvas do terrorismo de estado vivem do passado e da demonização do pt, não tem projeto de país, quanto mais de democracia.