Por que Serra perdeu?

Uma orquestra só funciona quando o maestro assume a batuta e comanda o ritmo, evolução e interação entre os diversos instrumentos: bronze, batera, teclado, cordas etc. Os marketeiros fazem o barulho, vamos dizer são a batera – quando o maestro entrega a batuta para os marketeiros, a coisa desanda – eles não tem valores conceituais, eles entendem de comunicação e só isto, quem dá o tom é o maestro, o líder maior. Renegar valores  passados do partido foi vital – PSDB privatizou sim e tem fundadas razões e valores para defender suas ações passadas.

Vejam, o setor de comunicação o que é, e o que seria sem privatizar – só não esta melhor nas mãos privadas porque a agência reguladora não se define se defende os interesses dos consumidores ou dos prestadores de serviço!

O setor de bancos estatais, que Pedro Malan se empenhou com determinação para  privatizá-lo, imagine-os nas mãos de políticos corruptos.

A  Previdência Social só está deste jeito porque a vontade política interfere – sempre quando a vontade política sobrepuja as leis econômicas o resultado é catastrófico!

Vamos para o petróleo – que conversa é esta que isto é patrimônio do povo brasileiro? Este falso nacionalismo não resiste a simples questões – nós o povo só entramos nisto para pagar a conta na bomba de gasolina, que é cada vez mais alta devido a farra política do loteamento de cargos. Isto só interessa a políticos corruptos que usam a vasta verba publicitária para amordaçar a imprensa. O monopólio estatal é tão nocivo quanto qualquer monopólio – o fato de estar nas mãos de políticos não atende a interesses do povo. Muito pelo contrário, os bens e serviços fornecidos por monopólios, quer estatais quer privados, definitivamente terão seus preços majorados pela incompetência – quando a tarifação é feita pelos custos e não pela concorrência, todos pagamos mais caro, premia-se a incompetência.

O governo é uma instituição economicamente inviável porque sua receita e despesa são determinadas por atos de vontade humana. A economia é uma ciência cujas técnicas são válidas e aplicáveis quando a vontade dos agentes econômicos é limitada por uma lei natural de oferta e procura. É por este motivo que as técnicas econômicas aplicadas pelo governo são ineficazes e apresentam resultados medíocres. Do ponto de vista institucional, a burocracia de governo, esclerosada em sua essência e esclerosante em suas ações, é um péssimo gestor de recursos, pois cresce à sombra do favoritismo subserviência, incompetência e servilismo, onde a amizade e influência políticas valem mais que o mérito e capacidade. Onde inexiste a saudável competição geradora de estímulos profissionais e avanços tecnológicos produzindo campo fértil para monopólios, oligopólios e cartéis.

A iniciativa privada, operando num mercado competitivo e pleno emprego produtivo é um modelo superior de produção de bens e serviços.

Isto não significa que trabalhadores e empresários do setor privado sejam seres superiores, privilegiados por eleição divina. O modelo da iniciativa privada é superior porque opera numa conjuntura onde a vontade humana é limitada por uma lei natural e inexorável de oferta e procura. Se no campo econômico o método tecnocrático apresenta resultados ridículos, as conseqüências no campo político são desastrosas, pois o tecnocrata, escudado num falso tecnicismo, confere uma aparente credibilidade ao acréscimo de receita do governo, vale dizer á concentração de poder ou á antítese da democracia.

Podemos desfilar um conjunto de setores que serviriam de exemplos com fortes argumentos para sustentar a privatização.

É muito fácil entender o conceito – basta constatar uma competição de futebol: porque os jogadores, cujo ofício confere glamour, prestígio e dinheiro não são os filhos dos dirigentes, os parentes de cartolas ou indicados pelos poderosos? – competição não permite privilégios. Vejam as Olimpíadas, corrida de formula 1 etc na competição real vale a competência, o preparo e os resultados.

Creio que o PSDB terá pela frente  definir suas posições, esclarecer seus valores e sobretudo não ter vergonha de defende-los em qualquer ambiente.

Isto os marketeiros não entendem. Quem tem que dar o tom da campanha é o líder e jamais ficar a reboque de pessoas inescrupulosas que entraram no jogo sujo, como se discutir o futuro de um país fosse o lançamento de um supositório.

Não se trata de chutar cachorro morto, o erro não é uma tragédia, a verdadeira tragédia é não aprendermos com o erro.

Levantar a cabeça e tocar pra frente. Minha homenagem a dignidade, honradez e visão de estadista de FHC – a passagem de comando –  FHC para Lula – me encheu de orgulho – coisa de primeiro mundo! De gente decente!

RELACIONADOS

Deixe um comentário

2 comments

  1. Jogo combinado. O vice de Dilma liderou o mensalão de FHC para alterar a constituição em proveito próprio, para apagar as digitasi do grande golpe do Proer.

  2. Marcos

    O problema não é a privatização, meu caro, mas como ela é feita pelos tucanos.
    Como a citada Telebrás: desvaloriza-se a empresa para vender a preço de banana a capital estrangeiro. Aqui em SP, por exemplo, o que a Telefónica pagou equivalia a 06 (SEIS) meses de lucro.
    Isso é meter a mão no patrimônio público.