O segredo da prosperidade

Somente num mercado livre, onde a capacidade criativa do homem pode ser exercida sem impedimentos, gerando oferta, e consequentemente demanda, há crescente abundância e riqueza.

Economias centralizadas não permitem que os indivíduos ofertem o que bem entenderem, inibindo a geração de novas demandas, emperrando a economia e empobrecendo a sociedade.

Não é a demanda que cria a oferta. Nenhum consumidor pode demandar algo que não existe, não foi criado ou não foi produzido. Há, por outro lado, ofertas que não criam demanda, por isso que há empresas que vão à falência.

Não é a demanda que cria a oferta. Nenhum consumidor pode demandar algo que não existe, não foi criado ou não foi produzido

Antes de ser inventado o celular, por exemplo, ninguém demandava o produto. Quando ele foi oferecido, criou-se instantaneamente a demanda por eles. A BlackBerry, para exemplificar, criou uma demanda específica que prosperou até a Apple criar demandas ainda mais exigentes, fazendo com que a oferta de BlackBerrys se tornasse inútil, pois não criava mais demandas como sua concorrente fazia.

O processo de criação de demanda desenvolvido pela Apple, fez com que sua lucratividade e geração de caixa a tornassem a maior empresa do mundo e, para poder adquirir seus produtos, cada consumidor, por sua vez, teve, tem e terá que ofertar algo gerando demanda, para criar valor suficiente para si e para os outros, com o propósito de adquirir o que a Apple oferece ou vier a oferecer.

Por essa lógica simples, que muitos economistas ou governantes não conseguem compreender, é que se explica porque incentivar o consumo através da criação de moeda ou crédito não gera riqueza, mas cria apenas inflação e posteriormente pobreza. Governos para garantirem desenvolvimento em uma sociedade, devem antes de qualquer coisa, para não dizer apenas, proteger os direitos dos indivíduos à liberdade e à propriedade, para que estes se sintam seguros para criar oferta, gerando demanda presente e futura, propiciando que o circulo virtuoso da criação de valor se forme de maneira espontânea e voluntária, encaminhando aquela sociedade para a prosperidade de forma sustentável e permanente.

RELACIONADOS

Deixe um comentário