Everardo Maciel
É consultor Jurídico e professor do Instituto Brasiliense de Direito Público. Foi Secretário de Fazenda, de Planejamento e de Educação de Pernambuco, Secretário de Fazenda e Planejamento do Distrito Federal, Secretário-Executivo dos Ministérios da Educação, da Casa Civil, do Interior (hoje Integração Nacional) e da Fazenda, Secretário da Receita Federal, além de ter ocupado em caráter interino os cargos de Ministro da Educação, Interior e Fazenda. Também lecionou em instituições acadêmicas privadas e participou em missões das Organizações das Nações Unidas.

O equívoco da reforma tributária

Everardo Maciel: "Não se pode esquecer da nossa imorredoura vocação para copiar modelos de outros países construídos em circunstâncias peculiares e diferentes das n...

Torneio de ideias ruins

Ao que parece, o ajuste fiscal em curso não será capaz de produzir a anunciada meta de 1,2% de superávit primário. As medidas tomadas no âmbito do PIS/Cofins e do IP...

Algo mais sobre o Carf

O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), 2ª instância de julgamento administrativo dos processos relativos a tributos federais, vive uma crise sem preceden...

A vida depois da Copa

A Copa do Mundo de 2014 trouxe surpresas de todos os gêneros. No campo, há um relativo equilíbrio nas disputas, fruto certamente da globalização dos esportes e dos i...

O mensalão e as doações

As doações para o pagamento das multas fixadas pela Justiça aos condenados pelo mensalão suscitam, direta ou indiretamente, grandes controvérsias. A primeira delas d...

Sem rumo

O papa Francisco, na Jornada Mundial da Juventude, conseguiu, com generalizado reconhecimento, entender os mal-estares da sociedade contemporânea e oferecer, se não um ...

Um pouco de método na loucura

Tributos correspondem à indispensável concessão que a liberdade faz à igualdade. Sendo suficientemente onerosos para as pessoas e para as empresas, não necessitam, c...

Armistício fiscal

A competição é inerente à condição humana. Quando exasperada, pode resultar em conflitos, que, no limite, se convertem em guerras, onde pontifica o recurso à viol...

O caixa 2

Fiquei estarrecido quando tomei conhecimento, pela mídia, de que a mais alta autoridade da República, à época que eclodiu o denominado escândalo do mensalão, alegar...

O dever da clareza

O filólogo Celso Cunha, responsável pela revisão do texto da Constituição de 1988, renunciou à tarefa, desapontado com a imprecisão e o barroquismo das proposiçõ...