Marcus André Melo
Marcus André Melo é professor titular de ciência política da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Ph.D em ciência política pela Sussex University, no Reino Unido, fez o pós-doutorado no Massachusets Institute of Technology. Foi professor visitante ocupando a Cátedra Coca-Cola Company na Universidade de Yale. Foi também resident scholar na Rockefeller Foundation, tendo sido premiado com o Guggenheim Award na área de ciência política, na categoria América Latina. Foi consultor do PNUD, BID, Banco Mundial, UNRISD, Unesco e DFID. É autor dos livros “Reformas constitucionais no Brasil: instituições políticas e processo decisório” (Revan, 2002), “Against the odds: politicians, institutions and the fight against poverty” (Columbia University Press, 2012), "Making Brazil work: checking the president in a multiparty system", (Londres: Palgrave/MacMIllan, 2013) e "Brazil in transition: beliefs, leadership, and institutional change" (Princeton University Press, 2016). Escreve regularmente nos jornais "O Estado de São Paulo", "Valor econômico" e "Folha de São Paulo".

Um Supremo dividido não é ruim

Marcos André Melo: "A cacofonia individual não é desejável, mas tem tido efeito positivo para a legitimidade política da corte em um contexto turbulento"

A corrupção corrompe

Marcus André Melo: "A grande corrupção é que influencia a nossa sociabilidade e estimula as microtransgressões, não o contrário"

Corrupção sistêmica

Por que tantos países de renda baixa ou média ficam presos na “armadilha do equilíbrio inferior”, da qual é exemplo a corrupção sistêmica? Essa era uma...

O contrato fiscal e a costela de Adão

A um só tempo pensador e agitador, o Padre Antônio Vieira nos fornece em um dos seus famosos “Sermões” (1642) a chave para pensar os dilemas do contrato fi...

Fazendeiro Federal, reforma e royalties

Duas imagens díspares são invocadas por analistas das reformas no Brasil. Na primeira, o Executivo federal aparece como um deus “ex machina” que tudo pode. ...

Brutus e o STF

Escrevendo na década de 50, o maior teórico contemporâneo da democracia, Dahl, desmontou a tese que o Judiciário seria um Poder “contramajoritário”. Segu...

Mal estar na democracia brasileira

A despeito do regozijo coletivo com o desempenho do STF pelo julgamento do mensalão, há um mal estar entre os brasileiros. Avaliar a democracia em um determinado país ...