Nelson Motta
Nelson Motta é escritor, letrista, jornalista e produtor musical. Considerado referência em assuntos ligados a história da música popular na formação da sociedade brasileira nos últimos 40 anos. Foi um ativo participante dos principais acontecimentos da história da MPB e hoje ministra palestras sobre o tema. Escreve artigos semanais para os jornais “O Globo”, “Estado de S. Paulo” e “Folha de São Paulo”, além de apresentar uma coluna cultural no “Jornal da Globo” e de comandar o programa radiofônico “Sintonia Fina”. Possui 14 livros publicados, dentre eles, “Noites tropicais” (Objetiva, 2000); “Vale tudo – o som e a fúria de Tim Maia” (Objetiva, 2007); “Brasil F.C.” (Nova Fronteira, 1982) e o mais recente “Força estranha” (Suma de letras, 2009).

Você sabe o que é propina?

Lula redefiniu suborno, jabá, pixuleco, comissão ou, como dizem no Nordeste, ‘um agrado’ “Propina é uma palavra inventada pelos empresários ou pelo Ministé...

Saudades da Lava-Jato

Seria maravilhoso se, ao fim da Lava-Jato, nos fosse dado um Brasil livre de políticos corruptos — pelo menos até o surgimento dos novos corruptos — com os condenad...

Campeão nacional da bandalha

Joesley é um tipo de empresário brasileiro que acumula os defeitos do capitalismo e do socialismo, em causa própria De perto ninguém é normal, cantou Caetano Veloso....

Além da imaginação

Na eleição indireta pelo Congresso, quanto vai valer, em cargos e dinheiro vivo, um voto? Não tem preço Acontecimentos políticos recentes cada vez se parecem mais co...

Pavões misteriosos

"Na catedral do Supremo, como pavões de multicolorida cauda, se alongam nos votos, amando ouvir a própria voz"

Saudades de Waldomiro

Por onde anda Waldomiro Diniz, braço-direito do Zé Dirceu na Casa Civil e o anjo anunciador do mensalão, flagrado em vídeo pedindo a Carlinhos Cachoeira propina para ...

O império da mentira

Em tempo de delação premiada, verdades e mentiras se misturam e se confundem. Mentir, todo mundo mente, mesmo sem maldade ou intenção de enganar, pelo menos 200 vezes...

Show de bola

Os estádios estão lindos e cheios, os jogos de ótimo nível, com muitos gols e surpresas, as torcidas animadas e pacíficas, as ruas fervilhando de gringos e de alegri...

Que fase!

A cada nova pesquisa, ninguém mais tem dúvidas de que a grande maioria da população está insatisfeita com a vida no país e, na mesma proporção, descontente com a ...

Pau e circo

“Macaco que muito mexe quer chumbo” é um velho e sábio ditado mineiro sobre os perigos da superexposição e do exibicionismo, mas certamente nem passou pela cabeç...

Quem tolera a intolerância?

Desde quando o respeito à lei e ao Estado de Direito viraram coisa “de direita”? Até que ponto a tolerância, a aceitação da diferença e o respeito à li...

O lado escuro da força

O avô do Jabor era uma figuraça. Quando o neto lhe contava entusiasmado uma boa novidade, o velho logo o advertia: “Cuidado, Arnaldinho, nada é só bom.” Sim, tudo...

Dilemas brasileiros

Para o bem e para o mal, as sociedades que mais crescem, enriquecem e progridem são as mais competitivas, onde impera a meritocracia e são oferecidas condições para q...

Broche, chicote e cipó

Com o encarceramento do deputado federal Natan Donadon, condenado pelo STF a 13 anos e 4 meses por corrupção, quebrou-se o tabu centenário de o Supremo não condenar u...

Fora do ar

Depois de cinco anos de atividade, a audiência média da TV Brasil em São Paulo corresponde a 600 domicílios. Está praticamente fora do ar e uma montanha de dinheiro ...

Boca livre cultural

No Brasil muitos profissionais bem sucedidos de diversas categorias são assediados por amigos, conhecidos ou estranhos para trabalhar para eles, de graça por supuesto ...

Vale o escrito

Por conta de uma interpretação esdrúxula, não teríamos biografias nem de Hitler; bastaria seus herdeiros reivindicar seus direitos no Fórum do Rio de Janeiro No Bra...

Mensalão, o musical

Políticos com ternos brilhantes, gravatas medonhas e cabelos acaju invadem a cena cantando para Lula e Jefferson: “Ei você aí/me dá um dinheiro aí/me dá um di...

Coices e relinchos

A maneira mais estúpida, autoritária e desonesta de responder a alguma crítica é tentar desqualificar quem critica, porque revela a incapacidade de rebatê-la com arg...

Gargalhadas vingadoras

Ouvir Maluf, com aquela inconfundível voz anasalada, cantando ‘olê, olê, olê, olá, Lu-lá, Lu-lá’… Tenho muito respeito e gratidão por quem me faz rir. D...