"A postura da imprensa tem que ser de ataque e não de vitimação", diz Arnaldo Jabor

Publicado no “Portal Imprensa” em 02/03/2010:
A defesa de uma postura mais firme por parte da mídia no que diz respeito à defesa dos mecanismo de preservação à liberdade de imprensa foi a tônica do painel “Restrições à liberdade de expressão”, parte do “1º Fórum Democracia e Liberdade de Expressão”, organizado pelo Instituto Millenium , que tem por objetivo debater as ameaças à liberdade de imprensa na América Latina, que acontece nesta segunda-feira (01/03), na cidade de São Paulo (SP).

Arnaldo Jabor, comentarista da TV Globo e da Rádio CBN, Carlos Alberto Di Franco, professor de Ética, diretor do Master em Jornalismo e da Di Franco-Consultoria em Estratégia de Mídia, e Sidnei Basile, vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Abril compuseram a mesa e, dentre as discussões sobre o tema principal, a politíca – visto que este é a ano de eleições presidenciais – não poderia ficar de fora.

Arnaldo Jabor destacou que o perigo é que haja espaço para um pensamento controlador, um “populismo de controle”. “Eu conheço cabeça de comunista, e cabeça de comunista não muda, é de pedra, de granito. Eu fui do partido comunista, mas eu sou um caso raro”, disse, em referência a uma vitória da candidata do PT Dilma Rousseff. E completou: “Se a Dilma ganhar, vai ser uma grande infiltração de formigas”.

Quanto à preservação da liberdade de imprensa, Jabor defedeu, junto dos demais participantes da mesa, que fosse criada uma cultura de autorregulamentação. Além disso, o jornalista acredita que falte à mídia “pulso firme” diante de atos que possam ameaçar o livre exercício da profissão. “Temos que ter um combate sistemático a isso com uma atitude de defesa a priori”, finalizou.

Por Ana Ignácio/Redação Portal IMPRENSA

RELACIONADOS

Deixe um comentário