Agência alerta executivos sobre a onda de ‘rolezinhos’

Um comunicado da agência “International SOS”, que presta serviços de segurança e prevenção de saúde a multinacionais, emitiu na última terça-feira um alerta para seus clientes, de maioria executivos que trabalham e moram no país. “Viajantes estão cientes da necessidade de evitar todas as manifestações como uma precaução para a segurança básica, bem como evitar uma série de encontros de jovens em shopping centers, chamados regionalmente de ‘rolezinhos’”.

O aviso, distribuído internamente para as empresas e ao qual o GLOBO teve acesso, lembra que o último ‘rolezinho’ foi reprimido pela Polícia Militar com gás lacrimogêneo e balas de borracha em Itaquera, em São Paulo. A empresa lista todos os eventos criados no Facebook para os próximos dias, e os classifica como perigosos. “Reunião semelhante está prevista no bairro do Leblon, no Rio de Janeiro, e em um centro de compra de luxo no Lago Norte, na capital Brasília”, diz o texto.

Distribuído por e-mail, o alerta informa ainda que, em São Paulo, onde os “rolezinhos“’ foram “realizados pela primeira vez, em dezembro de 2013, pelo menos seis shoppings obtiveram liminares restringindo a entrada de suspeitos”. No entanto, diz a “International SOS”, “há pelo menos dez eventos planejados em toda a cidade e sua área metropolitana nos próximos dias”.

No mesmo e-mail, em “Briefing de viagem”, a empresa diz que não há relatos de saques ou ataques a pessoas durante os ‘rolezinhos’, mas aconselha os seus clientes a evitá-los por causa da possibilidade de confrontos entre polícia e jovens. A empresa alerta que o cliente pode ser exposto à violência caso esteja presente em um destes eventos.

“Devido ao ativismo social intensificado antes da Copa do Mundo de 2014, que ocorrerá de 12 junho a 13 julho , é provável que manifestações vão reaparecer com mais frequência e intensidade. Portanto:
– Evite todas as manifestações como uma precaução de segurança básica. Como o evento de 11 de janeiro ilustra , os confrontos entre os participantes e a polícia são possíveis e os presentes podem ser expostos à violência.
– Esteja ciente de que tais eventos anteriores foram planejadas por meio de redes sociais e muitas vezes a curto prazo . Se você encontrar uma reunião de protesto e estiver a pé, encontre um local seguro, como uma loja ou hotel.
– Deixe a área imediatamente após a polícia chegar para restaurar a ordem. Não fique para assistir ou fotografar o evento.
– Monitore os nossos alertas de segurança de viagem sobre o Brasil.
– Este conselho não é o completo ; referem-se ao Conselho Permanente de viagem para o Brasil.”

Fonte: O Globo

RELACIONADOS

Deixe um comentário