Alta carga tributária nos produtos da festa junina pesa no bolso do brasileiro

A tradicional comemoração das festas juninas vem carregada de tributos, que estão embutidos no preço dos principais quitutes consumidos nesta época: equivale a 61,56% do preço quentão, 36,54% da pipoca ou do pé de moleque; 35,38% da canjica e 24,07% do pinhão, conforme pesquisa do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT.

Outras bebidas consumidas nas quermesses realizadas em todo o País: 55,60% na cerveja ; 46,47% na garrafa de refrigerante e 44,55% no produto em lata. Além disso, quem quiser se vestir à caráter para a tradicional quadrilha junina, pagará 38,53% de tributos na calça jeans, 34,67% na camisa xadrez e 33,95% no chapéu de palha.

“Os principais produtos consumidos nesta época têm uma elevada carga tributária por serem produtos supérfluos, como é o caso dos fogos de artifício, no qual 61,56% do valor do produto é destinando aos cofres públicos”, explica o presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike. “Com isso, além de consumir menos nesta época do ano, já que o Leão abocanha uma grande parte do valor dos produtos para o pagamento de tributos, o contribuinte brasileiro não recebe um retorno digno dos valores que paga em serviços públicos de qualidade.”

Fonte: IBPT.

RELACIONADOS

Deixe um comentário