Aplicativo brasileiro ganha prêmio da ONU

O analista de sistemas Carlos Pereira é pai de Clara, uma linda menina vítima de um erro médico que a deixou com paralisia cerebral, problema que a afetaria pelo resto da vida. Por conta da doença, Clara, hoje com seis anos, não podia se comunicar: era difícil saber se ela estava com fome, sede ou se precisava de alguma outra coisa.

Para melhorar a vida de sua filha, Pereira criou o Livox, um aplicativo que deu à Clara a chance de se comunicar. E transformou o mundo dela.

Neste mês de fevereiro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, a ONU (Organização das Nações Unidas) reconheceu o esforço de Pereira e a eficácia do Livox ao premiar a ferramenta como o Melhor Aplicativo de Inclusão Social do Mundo.

“Missão cumprida!”, escreveu Pereira no Facebook. “É a excelência do software do mundo sendo premiada! Agradecemos a Deus, a minha família (em especial minha esposa Aline e nossa motivação, Clara), meu sócio Paulo Henrique, a todos que nos ajudaram e a equipe Livox e Reamo!”

Com o Livox, Clara passou a se comunicar de maneira mais eficaz. Antes do app, se Clara queria um iogurte, por exemplo, Pereira tinha que tirar uma foto do alimento, recortar e colar em um ficheiro. O problema é que o ficheiro estava ficando enorme.

No aplicativo, as imagens permitem à Clara e aos seus cerca de 10 mil usuários terem voz e expressarem necessidades e emoções.

O World Summit Award Mobile (WSA-mobile), prêmio da ONU criado em 2010, é uma iniciativa global para selecionar e promover o que há de melhor no mundo em conteúdo para dispositivos móveis e aplicativos inovadores.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

RELACIONADOS

Deixe um comentário