Autoridade Olímpica custou R$ 100 milhões aos cofres públicos

Prestes a deixar de existir, a Autoridade Pública Olímpica (APO) já custou aos cofres públicos R$ 100 milhões desde sua criação. O objetivo do órgão era fazer a gestão do cronograma olímpico e implementar projetos para preservar a memória dos Jogos no Brasil. Contudo, depois do fim da Olimpíada, nada saiu do papel. Todo o material segue arquivado na sede da entidade, no Rio de Janeiro.

Fonte: “Época”.

RELACIONADOS

Deixe um comentário