Para Cristiano Costa, oferta de crédito e “Minha casa, Minha vida” inflacionaram o setor imobiliário

Cristiano M. Costa

O preço dos imóveis nas principais capitais brasileiras está cada vez mais alto. As medidas do governo como os juros favorecidos para o setor imobiliário, a oferta de créditos, o programa “Minha casa, Minha vida” e obras vinculadas à Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 têm puxado os preços do setor. Economistas apontam para o risco da formação de uma “bolha imobiliária” caso os preços continuem subindo a revelia dos movimentos de oferta e demanda do mercado.

O economista e especialista do Instituto Millenium Cristiano Costa concorda que as medidas do governo contribuem para a alta no preço dos imóveis residenciais e comerciais. Costa também explica que o aprimoramento das leis associado à redução dos juros no início da última década renovou o fôlego do setor de imóveis: “A lei de alienação fiduciária, em que a pessoa perde o direito ao imóvel rapidamente em caso de inadimplência contribui para a redução dos riscos, aumentando o crédito e diminuindo os custos do financiamento. Com a queda das taxas de juros, houve então uma grande expansão do crédito”.

A respeito da sustentabilidade do movimento de valorização dos imóveis, Cristiano prevê a estabilização dos preços. “A tendência é que essa valorização não continue. O primeiro grupo de famílias que procurava adquirir a casa própria já adquiriu e muitos deles ainda estão no parcelamento antes do Habite-se , quando a família tem que comprovar renda para tirar o resto do financiamento”, analisa.

Nas grandes cidades como Rio e São Paulo, a alta dos imóveis já reflete no valor dos aluguéis. Para o economista,  o descolamento entre o preço dos imóveis e do aluguel representa um risco para o setor.

“Essa questão pode se desenrolar de duas formas. A primeira delas é a desinflação, com os preços se estabilizando e começando a cair um pouquinho. Ou a gente pode ver um movimento mais abrupto, em que os preços caem por algum choque externo que force o Brasil a elevar suas taxas de juros desencadeando o movimento de estouro de uma eventual bolha”, conclui.

RELACIONADOS

Deixe um comentário

1 comment

  1. Eco

    Esses preços vão subir até explodir. Toma mais um minha casa minha vida. Gente rica interessada nessa especulação. Construtoras, familas que possuem vários imóveis..ja viu.