Quinta-feira, 8 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Brasil e Portugal assinam acordo para a internacionalização de startups

Um acordo inédito entre Brasil e Portugal para firmar parcerias para elaboração de ações conjuntas, promover discussões e troca de conhecimento técnico para a internacionalização de startups foi assinado nesta terça-feira pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) do governo do estado do Rio e pelo governo português, representado pela Secretaria de Estado da Indústria (SEI). O documento abre as portas dos dois países para a implantação de projetos e para o desenvolvimento de políticas públicas de estímulo às microempresas brasileiras e portuguesas de base tecnológica.

A parceria também prevê a cooperação técnica para promoção e participação ativa do estado do Rio em eventos de startups em Portugal e do ecossistema empreendedor português em eventos similares em terras cariocas. Ambos os países se comprometeram a promover discussões.

O acordo prevê, ainda, a cooperação técnica para promoção e participação ativa do estado do Rio em eventos de startups, em Portugal, e do ecossistema empreendedor português em eventos similares no Rio. Ambos os países se comprometem a promover discussões; sistematizar e disseminar boas práticas neste segmento da economia; propor e elaborar formas de ação conjuntas e estimular o debate sobre os desafios das startups.

— Precisamos pensar o Rio para além do petróleo. Identificamos a inovação como uma vocação natural do estado do Rio e o Startup Rio é um programa de estímulo ao empreendedorismo digital que está inserido nessa estratégia. O governo está atuando como indutor da inovação — comemorou o secretário da SECTI, Gustavo Tutuca.

O documento foi assinado após uma breve apresentação do Startup Rio, programa criado pela SECTI que conta com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e do Startup Lisboa. Em seguida, duas microempresas que participam do Startup Rio e três startups portuguesas falaram sobre seus negócios. De acordo com o secretário de Estado da Indústria de Portugal, João Vasconcelos, esta é a primeira missão internacional do Startup Lisboa. Ele destacou a estratégia nacional do país para o empreendedorismo digital e o Websummit, um dos maiores encontros europeus de tecnologia, empreendedorismo e inovação que acontecerá em Lisboa nos próximos três anos.

— Avançamos no mesmo caminho. Temos todas as razões para estarmos juntos, já que vivemos momentos econômicos e históricos semelhantes. Em Portugal, 50% dos novos empregos estão sendo criados por empresas com menos de cinco anos de existência, e isso demonstra a importância da inovação. Portanto, só temos a ganhar indo em conjunto — disse Vasconcelos, secretário de Portugal.

Com duração de três anos, o acordo entre Brasil e Portugal vai permitir a troca de informações, networking, mentoria, educação e consultorias em segmentos como economia criativa, tecnologia da informação, comunicação e biotecnologia. Presidente da Faperj, Augusto Raupp destacou que as estratégias de estímulo às startups adotadas em Lisboa e no Rio caminham no mesmo sentido, que é o de fomentar a inovação.

— Estamos adotando as mesmas práticas e isso confirma que estamos no caminho certo. A nossa missão é transformar conhecimento e tecnologia em produtos inovadores. Pra isso, a Faperj vem investindo pesadamente em tecnologia e inovação. A gente tem que se preparar para o futuro, para que as ações tenham continuidade, para que as empresas cresçam — frisou Raupp.

Lançado em 2014 com o objetivo de fomentar a cultura do empreendedorismo e transformar o estado um polo de referência internacional em tecnologia, o Startup Rio faz parte de um conjunto de ações que visa diversificar a economia fluminense. O programa já desenvolveu 48 microempresas de base tecnológica. Atualmente, 11 geram empregos e pagam impostos, representando R$ 2 milhões de faturamento bruto desde 2014. O programa capacitou 300 empreendedores e ofereceu 720 horas de cursos, oficinas e mentorias.

Os portugueses também visitaram o espaço de coworking do Startup Rio, de mil metros quadrados, localizado em um casarão antigo da Rua do Catete, reformado em 2014, com auditório multimídia, sala de reunião, lounges, Skype rooms e wireless.

A assinatura do protocolo fez parte de uma missão empresarial do governo português que durou dois dias, que começou na segunda e terminou nesta terça-feira. O evento de assinatura do acordo contou com a participação do diretor do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro (Sebrae), Armando Augusto Clemente; do presidente da Associação de Empresas de Tecnologia da Informação (Assespro-RJ), Márcio Lacs; do presidente do AgeRio, José Domingos Vargas, e do assessor especial de Relações Internacionais da Subsecretaria de Relações Internacionais do Estado do Rio, Luiz Carlos de Carvalho.

Fonte: “O Globo”.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.