Brasil registra a pior geração de empregos em dez anos

Em 2013, foram gerados 1,1 milhão de empregos com carteira assinada, o que foi 14,1% menor do que o registrado no ano anterior

O Brasil teve o pior resultado em geração de empregos formais dos últimos dez anos, em 2013. Foram criados 1,1 milhão de vagas com carteira assinada, o que representa 14,1% menos do que o registrado no ano anterior. Os dados foram divulgados neste terça-feira, 21, pelo Ministério do Trabalho.
Em 2012, o mercado de trabalho gerou 1,3 milhão de novos postos de trabalho. Em dezembro, a redução de vagas de trabalho formal foram de 449, 5 mil, o que foi um pouco menor do que o identificado no mesmo mês em 2012, quando a redução foi de R$ 497 mil vagas.

O saldo de 2013 ficou abaixo do esperado pelo governo, que era de fechar o ano com o resultado positivo de 1,4 milhão de novos postos de trabalho. “Tivemos um crescimento do PIB que não foi alto, não pode a geração de emprego contrariar a realidade”, explica o ministro do trabalho Manoel Dias, que espera nos próximos cinco anos resultados similares ao registrado no ano passado, o que foi definido por ele como um “milagre”.

Para Dias, o milagre está em gerar “empregos razoáveis”. A expectativa para 2014 é de gerar entre 1,4 milhão e 1,5 milhão de novos empregos, com isso cerca de 6 milhões de novas vagas terão sido geradas no governo Dilma.

Salários de admissão aumentaram
Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontaram também que o salário médio de admissão do brasileiro teve aumento real de 2,59%, em relação a 2012, o que representa o valor de R$ 1.104,12. O aumento médio dos salários foi de 42,9% em dez anos, segundo Dias.

Fonte: Opinião & Notícia

RELACIONADOS

Deixe um comentário