Brasil torna secreto apoio financeiro do BNDES a Cuba e Angola

Ministro do desenvolvimento torna secretos documentos envolvendo financiamentos do BNDES em operações em Cuba e Angola

O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, tornou secretos os documentos sobre os financiamentos do Brasil aos governos de Cuba e Angola. Com a decisão, o conteúdo dos papéis só poderá ser divulgado em 2027.

O ministro justificou o sigilo afirmando que os documentos envolvem informações estratégicas de operações custeadas pelo governo e dados “cobertos por sigilo comercial”. Somente no ano passado, o BNDES desembolsou US$ 875 milhões em financiamento de exportações de bens e serviços brasileiros para Cuba e Angola. Em 2012, o BNDES também financiou operações para 15 países, no valor total de US$ 2,17 bilhões, mas apenas os casos de Cuba e Angola foram considerados secretos.

Os atos que conferem sigilo aos documentos foram assinados por Pimentel em junho de 2012, um mês após a Lei de Acesso à Informação entrar em vigor.

As únicas pistas sobre o dinheiro estão em informações públicas e declarações da presidente Dilma. Em janeiro, durante uma visita a Havana, Dilma disse que o Brasil bancava boa parte da construção do Porto de Marie, há 40 km da capital. A obra é executada pela empreiteira Odebrecht.

Já em Angola, em 2011, Dilma afirmou que “os mais de US$ 3 bilhões disponibilizados pelo Brasil fazem de Angola o maior beneficiário de créditos no âmbito do Fundo de Garantias de Exportações” do BNDES.

Fontes: Opinião & Notícia

RELACIONADOS

Deixe um comentário