Combate à corrupção: setor público bate número recorde de demissões

Matéria publicada no jornal “O Globo” traz balanço da Controladoria Geral da União (CGU) sobre expulsões de servidores da administração pública. Segundo a controladoria, 98 servidores federais foram demitidos da administração pública por envolvimento em irregularidades, principalmente em casos de corrupção. Desses, 78 foram demitidos; 10, destituídos de cargos em comissão; e outros 10 tiveram sua aposentadoria cassada. Segundo a controladoria, é um número recorde, o maior já registrado desde 2003. Na própria CGU, houve uma expulsão no mês passado.

O total acumulado no primeiro semestre deste ano também foi recorde: 328 servidores dispensados. De acordo com a CGU, de janeiro de 2003 a julho de 2011, foram aplicadas punições a 3.297 servidores. Desse total, 2.812 foram demitidos, 281 foram destituídos de cargo em comissão e 204 tiveram suas aposentadorias cassadas.

Desde 2003, o principal motivo para a saída dos funcionários é o uso indevido do cargo para a obtenção de vantagens (1.751 casos), seguido de improbidade administrativa (1.056), abandono de cargo (487), recebimento de propina (304) e desídia (268). A categoria “outros fundamentos” foi responsável por 1.567 casos. A soma dá 5.433 e é superior ao número de servidores expulsos porque um mesmo funcionário pode ser afastado com base em mais de um fundamento.

O Rio de Janeiro é o estado em que mais funcionários públicos sofreram punição. Dos 2.112 servidores federais punidos no período, 358 são do Rio, o que equivale a 16,95% do total. No Distrito Federal, foram 281 servidores punidos no período, 13,3% do total. São Paulo vem em seguida, com 190 servidores expulsos.

Fonte: “O Globo”

Leia mais sobre combate à corrupção no site do Instituto Millenium na opinião de Merval Pereira: “O enigma Dilma”

RELACIONADOS

Deixe um comentário