A comissão de sindicância da Casa Civil criada para apurar os erros nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) concluiu que a falha foi acidental. Segundo a Casa Civil, “o equívoco no procedimento de expansão da amostra da Pnad 2013 resultou de erro acidental no procedimento de operacionalização e manuseio de planilhas de projeções populacionais”.

Em nota divulgada nesta quarta-feira, a Casa Civil disse ainda que “não foi identificada qualquer intencionalidade ou relação do erro com desconhecimento técnico da equipe ou falta de condições adequadas de trabalho”. No relatório, a comissão recomenda, no entanto, que o IBGE, responsável pela Pnad, “adote medidas com vistas ao aprimoramento do processo de trabalho de apuração dos dados e análise dos resultados da pesquisa”.

A comissão foi criada no dia 23 de setembro de 2014, e encerrou os trabalhos na última terça-feira. Segundo a Casa Civil, “com a conclusão das atividades e encaminhamento das recomendações, o processo será encerrado”.

No último dia 18 de setembro, o IBGE divulgou a Pnad com erros em dados sobre desigualdade no Brasil, que foram detectados no dia seguinte. Na época o IBGE disse que houve falhas “no processo de expansão da amostra da Pnad 2013, o que provocou alterações nos resultados de sete estados: Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul”.

Diante da repercussão, a presidente Dilma Rousseff determinou a criação da comissão de sindicância na Casa Civil.

Fonte: O Globo.

Deixe um comentário