Como ajudar os blogueiros cubanos

Toda semana recebo centenas de mensagens eletrônicas, às quais nem mesmo posso responder devido as minhas limitações de conexão na Internet. De modo que aproveitarei este post para responder a pergunta que tantos me fazem: Como ajudar a blogosfera alternativa de Cuba?

Vou detalhar os recursos ou o tipo de colaboração que pode socorrer os blogueiros na criação e atualização de seus blogs. A lista que mostro a seguir não tem uma ordem de prioridade e deve ser interpretada como simples sugestão. É um pedido aos cidadãos de todo o mundo e baseia-se nessa solidariedade entre pessoas que nada tem a ver com matizes políticos ou preferências ideológicas. Assim, aí vai:

* Conectar os blogs e inscrevê-los em buscadores ou plataformas onde possam ter maior visibilidade. Cada pessoa que nos lê nos protege, de maneira que há que se aumentar esse escudo guardião formado pelos leitores e comentaristas.

* Difundir o conteúdo dos blogs, fundamentalmente até o interior de Cuba. Isso pode ser conseguido com o envio de nossos posts à parentes e amigos na Ilha, para dar a conhecer essa opinião que surge daqui mesmo, mas que os meios oficiais não divulgam.

* Convidar os blogueiros alternativos a participar de eventos, sejam virtuais ou reais. Através de gravações de voz, vídeos filmados de forma caseira ou chamadas telefônicas que possam ajudar a propagar suas opiniões.

* Ajudar na administração dos blogs, especialmente daqueles blogueiros que tem acesso limitado à Internet. Para isso só é preciso ter a vontade de colaborar, um mínimo de conhecimentos de WordPress ou Blogger.com e a honestidade de não juntar ou trocar nenhum conteúdo que não tenha sido previamente autorizado pelo autor do sítio.

* Evitar o personalismo ou o culto de somente um blogueiro emblemático. Entender a blogosfera alternativa como um fenômeno em que participa um número crescente de cubanos. Não repitamos no mundo virtual as adorações de indivíduos que tanto dano nos tem causado na realidade!

* Compra de cartões de acesso à Internet em lugares públicos. Lembre que muitos de nós estamos obrigados a pagar alto preço nos cybercafés e nos hotéis para acessar a rede. De maneira que se você é um turista que visita a Ilha, colabore conosco adquirindo algumas horas de conexão nesses lugares.

* Todo tipo de midia de informação, das minúsculas memórias flash até aos mais sofisticados discos rígidos externos, passando pelos necessários CDs. Uma boa parte dos blogueiros que conheço distribuem seus textos – no interior da Ilha – com esses dispositivos de armazenamento.

* Telefones móveis e ajuda econômica para contratar linhas e mantê-las. Eu mesmo frequentemente me vejo na situação de ter que postar através de SMS enviados para pessoas fora de Cuba que posteriormente colocam meus textos na rede. Desta forma, prover um blogueiro com a telefonia celular é dar-lhe um caminho paralelo ao tradicional acesso à Internet.

* Laptops ou todo tipo de acessórios para construir um PC. Minha experiência diz que um velho laptop trazido à Ilha e presenteado a um possivel blogueiro pode ser o estopim para a aparição de um novo espaço de opinião. Busque em seu escritório e na sua casa tudo aquilo que foi descartado mas que poderia ser útil para montar um computador, junte na sua maleta de férias em Cuba e – por favor – não pense em enviar pelo correio.

* Software gratuito e com licença. Especialmente aqueles programas que servem para tratamento de imagens, áudio, vídeo ou que otimizem o tempo de conexão na Internet. Quero lembrar que não podemos comprar estes programas em nenhuma loja ou adquirí-los por transações online.

* Câmeras digitais e de vídeo, especialmente as pequenas Flip que permitem filmar discretamente situações de nossa vida cotidiana.

* Gravadores digitais para fazer entrevistas e gravadores telefônicos que permitam armazenar a voz dos que chamam do interior para ditar seus textos. Um exemplo disto é o blog do prisioneiro político Pablo Pacheco que é alimentado com os textos que ele lê através do telefone.

* Livros sobre jornalismo cidadão, manuais de programas e todo tipo de documentação que ajude a compreender melhor o fenômeno blogueiro.

O caminho para canalizar esta ajuda é diretamente com cada blogueiro. Escreva uma mensagem para o e-mail que aparece nos blogs feitos em Cuba – olhe a lista na minha barra lateral de Links – e organize sem intermediários esse tipo de solidariedade. O slogan deste movimento de ajuda bem que poderia ser: Oxigênio para a blogosfera cubana!

(Publicado em Geração Y)

RELACIONADOS

Deixe um comentário