Para presidente do Conar, imprensa brasileira sofre “bullying”

O V Congresso Brasileiro da Indústria de Comunicação, que começou na última segunda-feira, 28 de maio, em São Paulo, debateu a relação entre democracia e imprensa. O evento, que contou com a participação de Gilberto Leifert, presidente do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar); Roberto Civita, presidente do Grupo Abril e Carlos Ayres Britto, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF); teve como foco a defesa pela liberdade de expressão e pelo livre exercício da imprensa.

Leifert afirmou que o país, mesmo com a democracia plena e fortalecida, vivencia um momento em que a liberdade de imprensa sofre “bullying”. O presidente do Conar comentou a tentativa de “impor seríssimas restrições à propaganda de bebidas alcoólicas, medicamentos, refrigerante” por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Leifert também disse que o risco para a liberdade de expressão está na ação de pessoas que se valem do anonimato para atacar as propagandas por meio da internet.

Para o presidente do STF, a sobrevivência da democracia está ligada à autonomia da imprensa: “Por ser a instância que oferta à população com uma alternativa, com uma explicação diferente da que o próprio governo dá para os fatos, a imprensa tira a Constituição do papel. Vitaliza a Constituição. A metáfora de que a imprensa e a democracia são irmãs siamesas não é exagerada. É de fato um vínculo umbilical, a ponto de que, se for cortado esse cordão, é a morte das duas: da imprensa e da democracia.”, ressaltou Ayres.

Roberto Civita disse que as empresas devem se empenhar para minimizar os possíveis efeitos nocivos dos seus produtos. O empresário também destacou qual é a função do Estado no que se refere à imprensa: garantir a liberdade de expressão.

Fonte: O Globo

Mais
Liberdade de imprensa: Presidente do Equador quer boicote

RELACIONADOS

Deixe um comentário