Terça-feira, 6 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Consumo crescerá 37% até 2019

Em desaceleração, gastos dos brasileiros aumentarão, em média, 7% ao ano e chegarão a R$ 4,51 trilhões

O atual cenário de recessão econômica colocará um pé no freio do consumo dos brasileiros. Nos próximos cinco anos, o desembolso dos consumidores crescerá 37%, o que representa um aumento anual médio de 7%. No quinquênio anterior, entre 2009 e 2014, essa média foi de 11% ao ano. Em 2019, final do atual ciclo analisado, o gasto total da população deve atingir a casa de R$ 4,51 trilhões. No ano passado, esse valor foi de R$ 3,29 trilhões (veja gráfico abaixo). As informações são da pesquisa Estilos de Vida dos Brasileiros: Hábitos Online, realizada pela Mintel.

De acordo com as projeções, a queda no consumo será mais intensa em 2015 e 2016. A partir de 2017, a perspectiva é a de que os gastos voltem a crescer. “Existe uma desaceleração em todos os setores em função da renda pressionada pela inflação, o aumento de impostos, a dificuldade de acesso ao crédito e a ameaça de desemprego”, afirma Renata Moura, analista sênior em pesquisa de consumo da Mintel.

Mesmo com o cenário difícil, alguns segmentos devem se destacar. O setor de itens para casa — que inclui eletrodomésticos, móveis e decoração — e o de beleza e cuidados pessoais são os principais deles. Apesar das novas medidas fiscais que incluem o aumento dos preços dos cosméticos importados, a área de beleza e cuidados pessoais crescerá mais do que todas as outras nos próximos cinco anos com um total de 63%. “Existe o efeito batom. Cuidar da beleza é um fator de motivação”, aponta Renata. Itens para casa, com alta acumulada de 56%, e produtos para cuidados da casa, com 42%, também terão desempenho acima da média.

Para os relatórios sobre o mercado brasileiro, a Mintel fez uma parceria com a Ipsos Observer Brasil para realizar 1.500 entrevistas face a face, abrangendo as cinco regiões do Brasil, todos os grupos socioeconômicos e faixas etárias a partir de 16 anos até as acima de 55 anos.

Fonte: Meio & Mensagem

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.