Copa no Brasil pode ser mais cara do que todas as edições somadas

Estudo da Consultoria Legislativa do Senado Federal avalia que Copa no Brasil pode chegar a ficar mais cara do que todas as edições do evento somadas.

A análise compara as cifras investidas pelos países-sedes em todas as intervenções que levaram a rubrica de “obra da Copa” dada pelos comitês organizadores. Dados atuais revelam que o  custo da Copa do Mundo no Brasil já é maior do que a soma do total investido nas últimas três edições do evento, no Japão, Coreia, Alemanha e África do Sul.

As copas do mundo de Japão e Coreia (2002), Alemanha (2006) e África do Sul (2010) consumiram, juntas, US$ 30 bilhões (US$ 16 bilhões, US$ 6 bilhões e US$ 8 bilhões, respectivamente), enquanto todas as Copas da história juntas teriam consumido US$ 75 bilhões.

No Brasil, os gastos atuais, segundo as autoridades de governo e empreiteiras envolvidas nas obras somam US$ 40 bilhões.

Segundo o jornal “Folha de S Paulo”: “Trata-se de uma previsão conservadora, baseada no que se espera consumir de recursos em obras que, em muitos casos, ainda nem começaram. Tais projetos costumam ser concluídos com gastos finais muito superiores aos previstos no início da empreitada. Nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro de 2007, por exemplo, o custo final foi dez vezes superior ao calculado no início das obras.

Fonte: Folha de S. Paulo

Leia mais no site do Instituto Millenium  sobre obras da Copa e o sigilo das contas no artigo de Rolf Kutz:  “Sigilo para a incompetência”

 

 

RELACIONADOS

Deixe um comentário