Quinta-feira, 8 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Corte nos gastos inviabilizará uso de urna eletrônica

Decreto publicado por Dilma Rousseff nesta segunda bloqueia o dinheiro que seria usado para financiar eleições por meio eletrônico

O corte de R$ 10,7 bilhões nos gastos do governo, decretado pela presidente Dilma Rousseff nesta segunda-feira (30/11), vai inviabilizar as eleições de 2016 por meio eletrônico. O alerta foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) por presidentes de órgãos do Judiciário – Supremo Tribunal Federal (STF), Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e outros.

O decreto de Dilma, publicado nesta segunda, limita os gastos do governo em todas as esferas. No Judiciário, a Justiça Eleitoral teve R$ 428 milhões bloqueados. A verba não pode ser usada nem movimentada. Os bloqueios atingiram o STF (R$ 53 milhões), o CNJ (R$ 131 milhões), a Justiça do Trabalho (R$ 423 milhões), a Justiça Federal (R$ 555 milhões), a Justiça Militar da União (R$ 14 milhões), a Justiça do DF e Territórios (R$ 63 milhões) e o STJ (R$ 73 milhões).

A urna eletrônica foi utilizada pela primeira vez no Brasil em 1996. A partir das eleições de 2000, ela foi implementada em todo o país. Em 2016, haverá eleições municipais – para prefeitos e vereadores.

Fonte: Época

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.