Dilma ainda pode mudar de opinião sobre sigilo de documentos

A presidente Dilma Rousseff defendeu o fim do sigilo permanente de documentos públicos quando ministra da Casa Civil, mudou de opinião ao assumir o governo e mudar de posição novamente em relação ao tema.

A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, afirmou que a presidente vai respeitar a decisão do Congresso sobre o tema.

O projeto que cria a Lei de Acesso à Informação limita o sigilo de documentos secretos a 50 anos. Os papéis poderiam ter o sigilo mantido por 25 anos, renovado por mais 25. O texto original encaminhado pelo governo Lula não impunha limite a essa renovação.

Há duas semanas, Ideli Salvatti disse que a gestão de Dilma estava disposta a tentar recuperar o que dizia a versão original. Ou seja, manter o sigilo por tempo indeterminado dos documentos ultrassecretos.

Fonte: “O Globo”

Leia a opinião de Merval Pereira sobre o assunto no artigo “Visão autoritária”

 

 

RELACIONADOS

Deixe um comentário