Distrito Real de Cambridge e Chelsea autoriza jantar da Embaixada da República Islâmica no Kensington Town Hall

Apesar do grande número de protestos contra o jantar oferecido pela Embaixada da República Islâmica do Irã no Kensington Town Hall, o conselho liderado pelos Tories (o partido conservador) se recusou a levar em consideração todos os emails e telefonemas de protesto, e permitiu que o evento pró-Ahmadinejad acontecesse. A princípio, Matthew Brown (matthew.brown@rbkc@gov.uk), responsável pela agenda de eventos, expressou surpresa ao ver que o evento seria organizado pela embaixada. Matthew Brown alegou que foi dito ao conselho que um “grupo cultural” não-político é que teria reservado o salão da prefeitura para o evento, e pediu provas que contrariassem a informação.

A evidência obviamente era bem clara, já que o evento foi anunciado no website da Embaixada da República Islâmica (http://icrolondonevents.com/norooz89/) – que diz: “O Conselho Cultural da Embaixada da República Islâmica do Irã convida a todos interessados para uma celebração no sábado, 20 de março, no Kensington Town Hall. Matthew Brown e o líder do conselho, Merrick Cockell, foram avisados por muitos deste anúncio da embaixada, várias vezes. E mesmo assim, o Distrito Real de Cambridge e Chelsea mentiu em seu site e Jennifer Allott apareceu com esta declaração absurda: que uma reserva foi feita para a utilização do Kensington Town Hall por um “grupo cultural Iraniano” para uma celebração. Nenhuma evidência foi apresentada de que o evento se tratasse de algo diferente de uma celebração de ano-novo.

Não foi fornecido o nome do chamado “grupo cultural” iraniano não-relacionado ao governo.

Foi também explicado ao conselho conservador como a administração Ahmadinejad recorre a eventos como os que aconteceram anteriormente no Millenium Hotel, Gloucester Road ou Wolfson College, Cambridge com o propósito de desmoralizar os manifestantes iranianos no Irã. Anunciando tais reuniões na TV estatal iraniana e em sites pró-Ahmadinejad, na verdade eles dizem ao povo do Irã que a vida é normal para nós aqui fora do país. A mensagem que eles mandam ao povo iraniano é que ninguém está do lado deles, ninguém se importa com sua luta por democracia, ninguém nos trata como um governo ilegítimo, ninguém está questionando as detenções em massa no Irã, as execuções e os julgamentos públicos, nós temos os petrodólares e podemos comprar o que quisermos.

Perguntamos à comunidade internacional: o que é que estamos pedindo que parece tão demais? Pedimos a vocês solidariedade internacional, vocês marcham por prisioneiros em Guantánamo, tudo bem, mas que tal marchar por uma adolescente iraniana que foi vítima de estupro coletivo na prisão de Kahrizak, após participar uma vez de um protesto pacífico que só questionava “onde está meu voto?”. Por que é pedir demais que se marche uma vez apenas por gente como Neda e Sohrabs e o modo como até seus túmulos estão sendo violados, e suas famílias assediadas?

Pedimos aos estudantes e acadêmicos que lutem contra a situação de seus colegas no Irã e questionem ataques brutais a estudantes da universidade de Teerã, como as mostradas nestas imagens captadas pelas próprias forças de segurança do Irã

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=YnHK6jAcsi4[/youtube]

Pedimos a pessoas como Anna Contadini que não aceitem prêmios irrelevantes de Ahmadinejad e seu conselheiro neonazista, Mohammad Ali Ramin.

Pedimos-lhe que não permitam que suas universidades, prefeituras e hoteis sejam usados como plataformas de propaganda pela administração golpista do Irã.

Pedimos que enfrentem o regime do Irã, quebrando todas as convenções de transmissão internacional e bloqueando os sinais de satélite para o Irã enquanto o regime continuar usando as mesmas plataformas de transmissão para difundir sua propaganda e mentiras em todos os idiomas com impunidade total.

Pedimos que enfrentem o regime do Irã por negarem ao povo iraniano o acesso à internet e a liberdade de informação..

Pedimos-lhe que não permitam que suas empresas vendam equipamentos de tortura, escuta e espionagem à junta messiânica do Irã, para que os dissidentes no Irã não possam ser rastreados e presos com tanta facilidade.

A vitória do Movimento Verde no Irã levará a um Oriente Médio mais pacífico e tolerante – isto não é incentivo o bastante para vocês? Vocês não se comovem com a humanidade, a compaixão excepcional e a magnanimidade dos manifestantes iranianos quando eles capturam e desarmam um guarda feroz da Unidade Especial?

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=ttxINV_EF50&feature=player_embedded[/youtube]

O que é que estamos pedindo de mais? Seus conselhos e suas agências do governo estão mais interessados em prender motoristas e pais divorciados, qualquer coisa que gere recursos, do que em enfrentar uma brutocracia totalitária que apoia e banca terrorismo internacional. Enfrentem seus governantes covardes, vocês têm o privilégio de não irem parar nas prisões de Kahrizak ou Evin se protestarem, mostrem um pouco de firmeza ou eles continuarão a pisar em todos vocês e a arriscar a segurança futura de suas crianças.

Líder do Conselho Conservador do DRKC, Merrick Cockell:

O Preço da Liberdade no Irã:
http://azarmehr.blogspot.com/2009/06/price-of-freedom.html

Publicado no blog de Potkin Azarmehr
Tradução: Anna Lim (annixvds@gmail.com)

RELACIONADOS

Deixe um comentário