Eletrobras é responsável por 30 das 50 obras de transmissão com maior atraso no país, diz ministro

Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) fez a afirmação durante audiência na Comissão de Infraestrutura do Senado. Governo já anunciou a intenção de privatizar a estatal

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, afirmou nesta terça-feira (26) que das 50 obras de transmissão de energia com maior atraso, 30 são de responsabilidade da Eletrobras e outras três são de sociedades das quais a estatal participa.

Em apresentação na Comissão de Infraestrutura do Senado, o ministro afirmou que o tempo médio de atraso nas obras da Eletrobras é de 4,9 anos, enquanto a média de atraso dos empreendimentos do setor privado é de 1,5 ano. O setor privado em 6 obras de transmissão entre as 50 com o maior atraso.

Leia mais
A Eletrobras é de quem mesmo?
“O país não pode mais ser tão patrimonialista”, diz Adriano Pires
A Eletrobras e os rios não são “estratégicos”

“Hoje a Eletrobras não pode participar de leilões de transmissão por causa dos atrasos”, afirmou o ministro.

Coelho Filho disse que os atrasos em obras de transmissão acabam levando a tarifas de energia elétrica mais altas, já que prejudicam o envio de energia e podem obrigar a geração por termelétricas, que, geralmente, produzem energia mais cara.

O ministro foi convidado pela Comissão de Infraestrutura para falar sobre a privatização da Eletrobras. Em agosto, o governo anunciou que deixará de ter a maioria das ações da estatal. Hoje, a União tem mais de 60% das ações da empresa.

Ao defender a privatização, Coelho Filho disse que a Eletrobras perdeu importância na expansão do setor elétrico. Segundo ele, hoje a estatal responde por 31% da geração de energia do país e, nos últimos cinco anos, apenas 15% do aumento da capacidade de geração foi feito por ela.

Fonte: “G1”

RELACIONADOS

Deixe um comentário