“Eu, o lápis”

O filme “Eu, o lápis” parte da cadeia produtiva de um objeto muito familiar – o lápis – para defender princípios como livre iniciativa e liberdade individual. Um simples lápis, na verdade, é muito complexo. Até que ele chegue às mãos do usuário, muitas pessoas contribuíram com sua produção: o profissional que corta a árvore, outro que transporta a madeira, os funcionários que trabalham nas fábricas, a pessoa que serve o alimento dos trabalhadores, aquelas que fabricam os alimentos e assim por diante. Essa grande rede funciona espontaneamente, sem um poder central organizando e ditando o que cada um deve fazer. Baseado em um ensaio de Leonard E. Read, o vídeo é do Competitive Enterprise Institute, uma organização política pública sem fins lucrativos, que promove os princípios de governo limitado, livre iniciativa e liberdade individual. Quer saber mais? Assista ao vídeo.

RELACIONADOS

Deixe um comentário

1 comment

  1. carlos alberto

    milton friedman usou o mesmo exemplo num outro video.

    -1