Franqueados que faliram contam os principais motivos do fracasso

A consultoria Franchise Solutions elaborou um estudo que lista as principais causas de mortalidade entre negócios franqueados. Veja:

As franquias são consideradas um investimento mais seguro do que negócios próprios. Afinal, você paga uma taxa de franquia para receber a experiência da franqueadora, que já testou seu modelo de negócio.

Mesmo assim, todo empreendimento envolve riscos – e as unidades franqueadas apresentam causas de mortalidade próprias. É o que mostra a consultoria Franchise Solutions, que elaborou um estudo com as cinco principais razões de falência dos negócios franqueados.

João Cristofolini: “O fracasso me ensinou o que sei sobre empreendedorismo”
Dez livros gratuitos para ajudar o empreendedor

Foram entrevistados 130 franqueados que tiveram a experiência de ver seu empreendimento falhar nos últimos dois anos, a partir de contatos fornecidos por dez franqueadoras. Os setores abordados na pesquisa foram Alimentação, Mobiliário e Decoração, Saúde e Beleza, Serviços e Vestuário.

Causas de mortalidade

Segundo os empreendedores que participaram da pesquisa, o principal motivo alegado para a falência da franquia é a má escolha do ponto comercial. Cerca de 31% dos entrevistados alegaram que a localização foi determinante para o fechamento da franquia.

O grande antídoto para tal problema é fazer um bom estudo do seu negócio antes de decidir o ponto comercial. Considere, por exemplo, se seu tipo de empreendimento é “de passagem” ou “de destino”.

“Os negócios de passagem precisam ser instalados em locais com grande fluxo de pessoas ou de carros. Enquanto isso, os de destino precisam ter facilidade de acesso por meio de transporte público ou estacionamento exclusivo ou conveniado”, explica no relatório Pedro Almeida, diretor da Franchise Solutions.

A segunda maior causa de mortalidade entre franqueados é conhecida por muitos empreendedores: a falta de capital de giro. Esse é o valor que fica guardado para sustentar a operação da sua empresa e impedir que ela fique no vermelho.

De acordo com a consultoria, há hoje uma maior oferta de linhas de crédito por bancos públicos e privados. Isso diminui a probabilidade de uma franquia fechar pela falta de capital de giro – mas, ainda assim, o problema continua sendo muito frequente entre os empreendedores. Cerca de 28% deles dizem ter falido por não terem essa reserva.

Em terceiro lugar está o treinamento insuficiente ou até inexistente. A capacitação é um dever da franqueadora – por isso, converse com outros franqueados da marca antes de fechar o contrato e confira se existe uma política de desenvolvimento dos que compram uma franquia. Cerca de 19% dos entrevistados alegaram que a falta de treinamento foi a causa de sua falência.

A próxima causa de mortalidade entre unidades franqueadas é a “concorrência desleal”. De acordo com 14% dos entrevistados, a competição fez com que eles tivessem de baixar as margens a ponto de quebrarem.

“Principalmente durante uma recessão econômica, alguns empresários erroneamente diminuem drasticamente o preço de produtos e serviços. Com isso, prejudicam inclusive o próprio fluxo de caixa”, explica Almeida.

Por fim, 12% dos franqueados alegaram que a sazonalidade foi sua causa de mortalidade. Em alguns meses, as vendas explodem; em outros, a procura despenca. Sem preparação para tais flutuações, muitas franquias acabam falindo.

Segundo a Franchise Solutions, todos os negócios possuem, em maior ou menor escala, sazonalidade. O empreendedor precisa perceber quando isso ocorre na sua franquia.

“Com essa informação em mãos, é possível planejar e criar estratégias inteligentes para diminuir o impacto da sazonalidade na vida financeira da empresa”, completa Almeida no relatório.

Gráfico Franquias

 

RELACIONADOS

Deixe um comentário