Abertura de franquia vira opção contra a aposentadoria

Profissionais experientes se tornaram até alvo de algumas redes pois tem algo muito valioso: maturidade gerencial

O servidor público aposentado Yoshio Iziara resolveu arregaçar as mangas e, em fevereiro deste ano, abriu uma franquia da rede de reparos e reformas em imóveis Praquemarido. Mais do que o desejo de continuar ativo, Iziara, hoje com 60 anos, tem algo muito procurado por algumas redes franqueadoras: maturidade gerencial.

A franquia, inclusive, não é a primeira aventura empreendedora de Iziara – ele abriu uma empresa de alinhamento e balanceamento de veículos, em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo. Mas o servidor público não gostou do negócio e resolveu vender o ponto dois anos depois.

A mudança para a região do ABC, para acompanhar o filho que passou no vestibular, rendeu a ele cinco anos de descanso. Tempo suficiente para Iziara decidir, por meio da franquia, recomeçar. “Não gosto de ficar muito parado. Sempre fiz os serviços em casa e achei a franquia interessante. Fico na parte administrativa, mas se precisar fazer algum serviço no cliente, faço também”, conta o franqueado, que investiu cerca de R$ 100 mil na unidade que atende São Caetano do Sul.

Mas não são apenas os idosos que buscam hoje uma franquia. As redes estão cada vez mais interessadas nesse público. A empresa de pastéis fritos e assados Pasteca, de Santa Catarina, é um exemplo. Com duas unidades próprias, a proprietária Miriam Terezinha Felippi aderiu ao sistema de franquias e está em busca de interessados em ajudá-la na expansão do negócio. A rede, entretanto, estabeleceu uma prioridade: o interessado deve ter mais de 45 anos.

“Buscamos pessoas com experiência no gerenciamento de pessoas. Eu vejo que essa é a maior dificuldade de qualquer empresário, seja ele do tamanho que for. Mesmo que o interessado nunca teve um negócio próprio, ela já passou por várias experiências”, conta. O investimento inicial para abrir uma unidade da Pasteca é de R$ 190 mil, incluindo a taxa de franquia de R$ 30 mil.

Fast-food. Os negócios ligados ao fast-food são os que despertam maior interesse dos empreendedores mais experientes. De acordo com projeção feita pela consultoria Rizzo Franchise, 25,48% dessas pessoas gostariam de atuar nessa área. Em seguida aparece a preferência pelo setor de vestuário (14,21%) e alimentação especializada (13,17%).

“Apesar da recomendação para o interessado escolher um negócio com o qual se identifique, a alimentação está em alta e existe muita procura e espaço”, diz o consultor Marcus Rizzo. Outra característica apontada é que 79% dos candidatos mais velhos pretendem incluir a família no negócio.

“Há um certo questionamento em relação ao emprego para os filhos. Essas pessoas acreditam que a franquia é uma forma de montar um negócio que teria continuidade na família. Não é necessariamente isso que acontece, mas é como se fosse uma desculpa”, diz Rizzo. Segundo projeção da consultoria, com base em 270 franqueadoras do País, o número de interessados em comprar uma franquia com 55 anos ou mais deve chegar a 57 mil pessoas apenas neste ano.

Análise semelhante, feita no ano passado, indicava o interesse de 29,4 mil pessoas. Até dois anos atrás, segundo Rizzo, o panorama mostrava que os jovens eram mais interessados no mercado de franchise.

Fonte: O Estado de S. Paulo

RELACIONADOS

Deixe um comentário