Gestão: Seis passos para turbinar a eficiência da sua pequena empresa

Planejamento deve começar logo nos primeiros dias do ano para ser bem sucedido

O ano está começando. Da mesma forma que as pessoas usam a passagem para traçar metas, o empresário pode aproveitar o novo ciclo para buscar maneiras de aumentar a eficiência do seu negócio. Para auxiliar os donos de pequenas empresas que pretendem turbinar a eficiência em 2013, o Estadão PME selecionou seis passos  a serem seguidos na hora de elaborar o planejamento do negócio. A lista foi elaborada com ajuda de profissionais do Sebrae. Confira:

1 –  Mercado

Mantenha-se atento às perspectivas de mercado. Saber interpretar o ambiente econômico significa vantagem competitiva para o empreendedor. Para 2013, o poder de consumo da chamada nova classe média deve apresentar-se mais uma vez importante. Há também os segmentos que devem reagir bem no próximo ano, como o do agronegócio, que fechou 2012 com fortes perspectivas de expansão do faturamento e crescimento da área cultivada.

2 – Planejamento
Faça um bom planejamento. É preciso fazer diferente, inovar, mudar o comportamento para ganhar. Com a profissionalização do mercado brasileiro, que vem ganhando relevância no cenário internacional, a concorrência se intensifica em todos os setores e, em 2013, não será diferente. Portanto, para acessar novas oportunidades de negócios ou ampliações, os empresários de micro e pequena empresa precisam planejar os seus negócios, esquecendo o comportamento das iniciativas pouco estruturadas. É preciso investir na inteligência competitiva e no diferencial.

O planejamento de negócios significa pensar e trabalhar o que fazer sobre algo no futuro, melhorando a capacidade de geração de renda. Planejar uma micro ou pequena empresa também envolve, entre outras coisas, previsão dos custos, investimentos, retornos, vendas, lucros e fluxo de dinheiro.

3 – Capital de giro
Administre o capital de giro. É muito comum que a intensificação das vendas, provocada pelo período de final do ano, crie uma falsa sensação de lucratividade. Isso faz com que o empresário promova retiradas, a título de pró-labore, acima do permitido, o que gera sérias dificuldades nos meses subsequentes para o cumprimento dos compromissos junto aos fornecedores.

4 – Retome logo
Recomece logo nos primeiros dias do ano a trabalhar. Demorar em retomar o comando e o ritmo de sua empresa após o período de relaxamento proporcionado pelas festas de final de ano pode ser prejudicial ao negócio. É preciso redobrar a vigilância sobre o mercado desde o início e se impor novos desafios, que vão desde a gestão do negócio até a busca de novas ferramentas de comunicação e divulgação.

O começo do ano é propício a faxinas profundas. É a hora de eliminar as ineficiências, corrigir o percurso, alinhar as metas e estar preparado para os próximos meses.

5 – Informação
Mantenha-se informado sobre questões econômicas e também se aproxime cada vez mais do cliente. Busque maior atuação no calendário anual de negócios, participando de feiras de negócios, relacionando-se com seu fornecedor e cliente de maneira mais efetiva, direta e próxima.

6 –  Equipe
Invista na sua equipe. Um dos aspectos vulneráveis das empresas é a capacidade de desenvolvimento e gestão da força de trabalho. Muitas vezes, o foco no curto prazo faz com que nossos empresários concedam pouca relevância ao ato de atrair, reter, desenvolver e engajar pessoas na dinâmica de trabalho. As empresas costumam contratar pelo currículo, mas demitem pelo comportamento. Os empresários precisam enxergar que investir no desenvolvimento e na capacitação de seu pessoal é positivo em médio e longo prazo, proporcionando mais eficiência e  economia.

Fonte: O Estado de São Paulo

RELACIONADOS

Deixe um comentário