Grupo de jornalistas, entre eles, um brasileiro, sofre atentado na Líbia

O jornalista enviado à Líbia pelo jornal gaúcho “Zero Hora”, Humberto Trezzi, viveu momentos de tensão na última quinta-feira (25), enquanto visitava a fortaleza do ditador Muamar Kadafi, Bab al-Aziziyah.

O repórter presenciou o tiroteio contra o grupo de profissionais da imprensa que estava no local. Trezzi não se feriu. Franco-atiradores posicionaram-se diante da fortaleza e abriram fogo no momento em que rebeldes, jornalistas e outros curiosos estavam no local para ver onde residia o ditador líbio,

O jornalista esquivou-se, agachado, e conseguiu se proteger atrás de prédios. Rebeldes contra-atacaram com tiros de metralhadoras. O tiroteio durou cerca de 10 minutos.

“A sensação é horrível, porque não se ouve o tiro – apenas o chiado da bala e marcas nas paredes onde elas pegam. Foi correria para todo lado, gente se atirando ao chão. Os que conseguiram manter a postura apenas se abaixaram”, contou Trezzi.

Fonte: Portal Imprensa

Sobre a Líbia, leia mais no site do Instituto Millenium no artigo do sociólogo e diplomata Luiz Felipe Lampreia : “Brasil acerta com a Líbia e erra com a Síria”

RELACIONADOS

Deixe um comentário