Há muitas formas de estar

A propósito da minha ausência na feira de Turim.

Perdi Madrid em pleno maio, Nova Iorque com seu campo universitário e agora Turim durante a feira do livro. Se a situação continuar assim, vou ter que começar a contar a minha vida com o tempo verbal do improvável “eu poderia ter estado aí, porém…”, “apresentaria o livro, se não fosse por…” ou “conseguiria viajar se me calasse”.

Hoje fui ao lançamento de Cuba Libre, dessa maneira virtual que só um blogueiro pode fazer. Falei por telefone com os presentes, respondi algumas perguntas e a linha caiu antes de poder dizer “adeus”.

Voltei a viver o que já conheço: todos estavam menos eu.

(Publicado em Geração Y)

RELACIONADOS

Deixe um comentário