Sexta-feira, 9 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Imil entre os melhores think tanks das Américas

O Instituto Millenium (Imil) ficou em 8º lugar entre os institutos brasileiros no ranking dos melhores centros de pensamento das Américas Central e do Sul, segundo o “Global Go To Think Tank Index Report 2015”, pesquisa desenvolvida pelo Programa de Think Tanks e Sociedades Civis da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos. O estudo avalia o papel e a relevância dessas instituições, que atuam em áreas como política, economia, segurança, meio ambiente e saúde, na sociedade e nos governos com o objetivo de estabelecer redes de contato e fortalecer o seu potencial e a colaboração entre elas. O levantamento é publicado anualmente desde 2007 e está disponível para consulta no site da Universidade.

O ranking considerou critérios como o comprometimento e a liderança de suas equipes, reputação acadêmica, número, qualidade e alcance das publicações, presença nas redes sociais, habilidade de recrutar e manter analistas de renome e desenvolver parcerias com outras organizações, entre outros.

Dos 86 think tanks analisados nas Américas Central e do Sul, o Instituto Millenium foi classificado em 34º lugar.  Também figuraram na lista outras importantes instituições brasileiras, como a Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1º lugar, o Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI), o Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC), o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). Ainda de acordo com o relatório, o Brasil é o 12º país com o maior número de think tanks, contando com 89 no total.

Ranking nacional:
1. Fundação Getulio Vargas (FGV)
2. Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri)
3. Instituto Fernando Henrique Cardoso (IFHC)
4. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
5. Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap)
6. Centro de Estudos da Violência (NEV)
7. BRICS Policy Center
8. Instituto Millenium

Um comentário

  1. Parabéns ao Instituto e seus colaboradores.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.