Domingo, 4 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Iniciativa privada vai financiar segurança no Rio

Em parceria, empresários ajudarão a equipar a polícia na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Quinta da Boa Vista e no Parque Madureira

O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, anunciou, nesta quinta-feira, uma parceria com empresários para melhorar o policiamento em três áreas de lazer da cidade: Lagoa, Quinta da Boa Vista e Parque Madureira. Na Lagoa, onde o médico Jaime Gold foi assassinado a facadas no último dia 19, a iniciativa privada se comprometeu a ajudar na construção de dois quiosques (nos parques dos Patins e do Cantagalo), que servirão de bases para os policiais. Também doará bicicletas, armas não letais e outros equipamentos. A ajuda foi orçada em cerca de R$ 450 mil. Já nas duas outras áreas de lazer, segundo cálculos do secretário, o financiamento será de cerca de R$ 425 mil, cada.

O anúncio foi feito após a gravação de uma entrevista de Beltrame à jornalista Míriam Leitão, no estúdio da GloboNews.

— A iniciativa da reunião (ocorrida há duas semanas) partiu de um grupo de empresários que querem ajudar o Rio. Eles pretendem dar não só assistência financeira, como acompanhar as questões de segurança com o aval de especialistas da área, inclusive divulgando nossas ações. Também estivemos com representantes do Google, que se comprometeram a doar cerca de mil smartphones para filmar as ações da PM em áreas com UPP e nas unidades de polícia de proximidade, no asfalto. A gravação é importante tanto para o policial quanto para o cidadão. Por meio das imagens, o agente pode se proteger, provando que agiu de maneira correta, dentro da lei — disse Beltrame.

Acordo para consertar motos

Ele também confirmou a informação, publicada nesta quinta-feira no “Estado de S.Paulo” pela colunista Sonia Racy, sobre outra parceria da secretaria com empresários, para o conserto de 200 motos da PM.

— Não queremos pôr a mão no dinheiro. Os empresários escolhem as oficinas, e a polícia manda as motos para o conserto. Eles entendem que há coisas positivas a serem feitas para o bem da sociedade. Não vou citar os nomes dos empresários, mas até a questão do acompanhamento dos especialistas para estudar a segurança foi sugestão deles. Muitas vezes, o poder público não tem essa expertise. Temos muitos projetos em andamento e precisamos de ajuda — explicou o secretário.

Beltrame disse que já pensou, para as áreas de lazer, num patrulhamento em que PMs trabalhariam em equipe com guardas municipais. Mas, de acordo com ele, isso abriria um precedente para os guardas pedirem na Justiça benefícios iguais aos dos policiais, uma vez que estariam fazendo o mesmo tipo de serviço. Outra possibilidade seria pagar a PMs para trabalharem nas horas de folga. Como o estado passa por uma crise financeira, mais uma vez os custos teriam que ser arcados pela iniciativa privada.

Também foi cogitada a utilização de recrutas recém-saídos do Exército para reforçarem o policiamento nas áreas de lazer:

— O Exército despeja nas ruas, por ano, mais de dez mil jovens que sabem patrulhar e até desmontar muito bem uma arma. Não os usaríamos armados, mas eles poderiam ajudar muito no policiamento. Infelizmente, essa mão de obra não é aproveitada, e temos um impedimento legal para utilizá-la. Por isso, faremos um novo concurso para a PM, em junho (este mês), para selecionar cerca de seis mil homens. Teremos que esperar pela formação deles.

Contra guardas armados

Sobre o uso de guardas municipais armados, medida que a prefeitura de Niterói pretende adotar, Beltrame é contra:

— Para usar arma, é necessário um preparo psicológico especial. É preciso que se estabeleçam limites concretos para o papel das guardas municipais. Os guardas atuam em questões de ordem pública, certo? Eles reprimem as ações dos camelôs, precisam ajudar na remoção dos moradores de rua, combatem o estacionamento irregular na calçada. Atuando em todas essas situações, dá para imaginá-los andando armados?

Fonte: O Globo

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.