Leando Narloch responde se a nova geração é mais aberta ao debate

O Instituto Millenium consultou o escritor Leandro Narloch, autor do livro “Guia politicamente incorreto do Brasil” (Leya ) sobre a juventude.

Perguntamos a Narloch se o jovem de hoje é mais aberto ao debate, mais receptivo às várias desmitificações, como as de histórias clássicas, presentes  no seu mais recente livro “O Guia politicamente incorreto da América Latina”, uma parceria com o repórter Duda Teixeira, que o escritor está lançando.

A geração atual, mergulhada na Internet, articulada através das redes sociais tem mais capacidade de abraçar o novo?

Para Leandro, os jovens de hoje fazem parte de uma geração acostumada com a leitura, com a escrita – principalmente blogs – e com o debate de ideias, sejam elas politicamente corretas ou incorretas independentemente de veias políticas, afirma o autor.

O “Guia 2” desmistifica os grandes mitos e heróis da América Latina, como Che Guevara, Salvador Allende e Juan e Eva Perón, além de contar histórias sobre a escravidão negra na América Latina e os primeiros contatos entre índios e europeus. “Não há aqui destaque para veias abertas do continente, mas para feridas devidamente tratadas e curadas com a ajuda de grandes potências”, diz a abertura do livro.

Acompanhe a Semana Imil Jovem.

Leia artigos do especialista Leandro Narloch.

RELACIONADOS

Deixe um comentário