Mario Vargas Llosa permitiu censura a seus romances na Espanha

Durante a ditadura de Franco na Espanha, em 1963, o escritor Mario Vargas Llosa, Nobel de Literatura 2010, permitiu que seu romance “A Cidade e os Cachorros” fosse editado pelos censores do Estado. A revelação do jornal “El País” está na edição desta sexta-feira, 26 de novembro, do jornal britânico “The Guardian”. De acordo com a matéria, os censores de Franco ficaram escandalizados com palavras obscenas encontradas no primeiro romance do então jovem Vargas Llosa. O escritor, à época, permitiu que alterações no texto fossem feitas para que seu trabalho pudesse ser impresso. “A censura era tão anacrônica, e é inacreditável que nem mesmo os censores acreditassem em seu próprio controle”, Vargas Llosa disse ao jornal. Leia a matéria completa no “The Guardian”, em inglês.

RELACIONADOS

Deixe um comentário