Segunda-feira, 5 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Ministério público pede abertura das contas da Olimpíada

O Núcleo de Combate à Corrupção, do Ministério Público Federal (MPF), ajuizou uma ação contra o comitê organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 por falta de transparência na divulgação de gastos públicos. Segundo o MPF, o comitê recebe subsídios da União e até agora não prestou contas do dinheiro. Não se sabe exatamente quanto o comitê recebeu. “O que se busca é a transparência da organização desse evento de alto interesse público, com vultosos recursos federais, para o devido controle social, em tempos de cultura da informação”, diz a ação civil pública, assinada pelo procurador da República Leandro Mitidieri.

O MP quer que o comitê dê ampla publicidade aos órgãos de controle – e ao público em geral – de quanto recebeu do governo federal e como gastou o dinheiro. A ação exige que o comitê apresente um relatório com informações do total gasto até o momento com a organização dos Jogos, discriminando o que é orçamento próprio e o que envolve subsídios da União. Tudo deve ser feito em 20 dias, sob pena de uma multa de R$ 10 mil por dia de atraso. Segundo o Ministério Público, a punição deve ser aplicada a Carlos Arthur Nuzman, representante legal do comitê dos Jogos.

De acordo com o dossiê de candidatura do Brasil, o governo prometeu fazer um aporte de R$ 1,8 bilhão para subsidiar o orçamento do comitê. Além disso, uma medida provisória destinou em junho R$ 2,9 bilhões ao estado do Rio de Janeiro como auxílio financeiro para a segurança pública. Procurado, o comitê organizador dos Jogos ainda não se manifestou.

Fonte: Época.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.