Movimento cobra políticas de apoio ao empreendedorismo

Nas eleições do ano passado, muitos candidatos assumiram o compromisso de incentivar o empreendedorismo caso ganhassem os pleitos. A presidente Dilma Rousseff, inclusive, engrossou essa lista. Agora que todos ocuparam seus cargos, um grupo de nomes de destaque do ecossistema empreendedor nacional está trabalhando para estabelecer um diálogo com os governantes e tirar as promessas do papel: o movimento Brasil + Empreendedor.

Segundo Marcelo Pimenta, idealizador do movimento, sócio da Laboratorium e professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), o Brasil + Empreendedor surgiu após o segundo turno das eleições. “Chamamos empreendedores, investidores, donos de espaços de coworking e professores a redigir uma pauta comum de sugestões e reivindicações que estimulassem o empreendedorismo no Brasil”, afirma. No total, 197 nomes apoiaram o movimento. Segundo Pimenta, a iniciativa é horizontal (não há hierarquia nem chefes) e apartidária.

A versão final do documento foi divulgada durante a Campus Party, evento que aconteceu durante a semana passada em São Paulo. As reivindicações da carta estão divididas em sete pilares: ambiente regulatório, infraestrutura, mercado, acesso ao capital, inovação, capital humano e cultura.

Pimenta diz que a carta sugere o que pode ser feito para melhorar a vida de quem tem (ou quer abrir) uma empresa, mas não especifica o que deve ser feito para tal. “Por exemplo, defendemos que haja um incentivo ao empreendedorismo. Para nós não interessa como. Não queremos trabalhar nos ‘comos’, mas nos ‘quês’.”

Agora, o próximo passo do Brasil + Empreendedor é agendar reuniões com governantes para entregar o manifesto do grupo. Alguns dos políticos que já se comprometeram a receber o movimento foram o governador do Maranhão, Flávio Dino, o senador paulista José Serra e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

RELACIONADOS

Deixe um comentário