A francesa Christine Lagarde, diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), foi a estrela do segundo dia da décima edição do Women’s Forum, realizado em Deauville, na França. Considerada uma das pessoas mais influentes da atual geração, ela falou para uma plateia com 1.300 pessoas.

Sandra Boccia, diretora de redação de Pequenas Empresas & Grandes Negócios, acompanhou a apresentação. Lagarde afirmou que, no mundo atual, as mulheres precisam ter autoconfiança, pois podem combater os problemas não só da economia, mas também das outras mulheres. “A confiança, para a mulher, é crucial neste momento”, diz.

À frente do FMI, uma das instituições econômicas mais importantes do mundo, Lagarde se vê numa grande missão. “Se eu falhar, isso pode representar a falha de todas as mulheres do mundo”, afirma.

Com voz firme, Lagarde também pediu para as mulheres serem seguras. Ela, por exemplo, sabe a responsabilidade que tem como uma líder feminina. Por essa causa, cobra ações no mundo, inclusive em países desenvolvidos e democráticos, mas que têm uma cultura conservadora. “O Japão, por exemplo, não precisa de robôs. Precisa, sim, de mulheres.”

Conselho

Lagarde deu um conselho às jovens mulheres: “Nunca tente ser como um homem”. Se uma garota acha que nunca terá autoconfiança, tem de se informar e se livrar dessa ideia. As mulheres, diz Lagarde, podem ser tão seguras quanto os homens. E se alguém dúvida disso, ela indica o livro “The Confidence Code”, que mostra que a confiança faz parte do ser humano – ou seja, não é algo relativo a gênero.

Ela também pede às jovens (que entram no mercado de trabalho) para buscar uma mão que se estenda com amizade e boa vontade dentro da empresa.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Deixe um comentário