“Não adianta mudar as leis, é preciso cumprir as que já temos” diz Ventura

O advogado e especialista do Instituto Millenium, Sebastião Ventura, participou da mais recente edição do projeto “Millenium nas redações”. O encontro ocorreu na redação do jornal “Correio Braziliense”, em Brasília, nesta terça-feira, 23 de abril. O tema foi a reforma política.

De acordo com Ventura, a descrença e o afastamento dos cidadãos dos debates públicos de envergadura são sintomas dos problemas da politica atual. “Se falamos em reforma politica é porque existe algo que não está funcionando bem”, disse.

Para ele, é necessário analisar, antes de tudo, o que precisa de fato mudar, tendo claro que para algumas questões é preciso apenas aplicar corretamente a legislação existente. “O que temos que reformar? Será que simplesmente mudar a lei surtirá efeitos práticos? Teremos uma lei eficaz ou mais uma lei que virará pó nas prateleiras?”, questionou.

Na opinião do advogado, é uma chaga nacional pensar que mudando a lei o dia seguinte irá nascer com sol. “Precisamos consolidar as instituições existentes, talvez uma mudança ou outra seja necessária, até porque não existe lei perfeita, mas não adianta a mudança se a lei não for cumprida”.

O projeto

O “Millenium nas redações” promove encontros entre especialistas da rede do Instituto Millenium e jornalistas. Eles acontecem nas redações e duram cerca de 1h15. O tema da palestra e o nome do especialista são decididos em conjunto. Os assuntos são variados, de acordo com o perfil de cada veículo, mas sempre relacionados com os valores do Instituto (democracia, Estado de Direito, economia de mercado e liberdade).

O “Millenium nas redações” visa contribuir para a liberdade de expressão, pois quanto mais ampla e mais critica for a formação do jornalista, melhor será a qualidade da imprensa no Brasil.

RELACIONADOS

Deixe um comentário

2 comments

  1. Gilberto Naldi

    O Advogado Sebastião Ventura esta coberto de razão! Não nos faltam Leis, mas o enforçamento daquelas que temos , e o cuidado para não deixar ninguém acima delas!

  2. Jose Maria

    Com os atalhos em nossas leis, nada dará certo, só quem sairá bem será o infrator. Tem sido assim e, assim, continuará. Falta vontade política para tanto. Somos, na realidade, país medieval.