No “Telegraph”: Dilma era o cérebro por trás dos revolucionários radicais

dilmaditadura O jornal britânico “The Telegraph” publicou matéria sobre a divulgação dos documentos com informações a respeito da prisão de Dilma no tempo da ditadura militar. O veículo informa que “a presidente eleita do Brasil, Dilma Rousseff, teve um papel significante na organização das células de militância e encorajou radicais esquerdistas a roubarem bancos”.

O “Telegraph” destaca que, nos documentos, Dilma é chamada de “a Joana D’Arc da subversão” e “um dos cérebros por trás dos esquemas revolucionários implementados pelos radicais de esquerda”.

Leia:
Brazil’s next president was ‘brains behind radical revolutionaries’

RELACIONADOS

Deixe um comentário