Pacote Geithner detalhado

Os mercados operaram em forte alta nesta segunda-feira, repercutindo o detalhamento do pacote Geithner, no que se refere à tentativa de “depuração de ativos tóxicos nos balanços dos bancos.” O Ibovespa, por exemplo, subiu a 5,9%, acima dos 42 mil pontos, o mesmo ocorrendo nos EUA, com as bolsas de valores em forte alta. 

Conhecido como “Programa de Investimento Público-Privado”, prevê o uso de US$ 75 a US$ 100 bilhões do Tesouro para alavancar capital privado até o valor de US$ 500 bilhões na compra de ativos. Estes valores podem chegar a US$ 1 trilhão, segundo o governo norte-americano. Hoje em dia, são cerca de US$ 2 trilhões em ativos tóxicos nos bancos em dificuldade. A idéia do Tesouro é limpar estes ativos dos balanços dos bancos para que estes possam voltar a emprestar.

Em poucas palavras, a idéia é partir de uma parceria entre público e o privado, para que uma empresa compre “ativos tóxicos”. Inicialmente, estes recursos públicos devem vir do Tarp, pacote de US$ 700 bilhões aprovado pelo Congresso em outubro de 2008, para tentar salvar instituições financeiras em crise.

Para muitos observadores, este processo pode ser considerado uma saída engenhosa para tentar limpar os balanços dos bancos destes ativos tóxicos, desde que o setor privado tenha interesse em assumir este risco, comprando estes ativos. Seriam duas etapas: na primeira, a FDIC, agência reguladora norte-americana, analisará quanto está disposta a garantir caso o comprador do ativo queira oferecer títulos de dívida para se financiar. Ou seja, será “formatada” uma parceria público-privada, com a venda de 85% das ações destes parceiros ao setor privado para, através desta empresa, comprar os ativos tóxicos.

Em seguida, o Tesouro entra com o financiamento de metade do valor restante, de modo que a instituição privada precise desembolsar apenas metade do valor que faltar. Seria escolhida uma empresa de administração de investimentos para fazer o seguro destes ativos, com o Tesouro norte-americano e o setor privado assumindo riscos em partes iguais na garantia.

Sobre uma das dificuldade do plano, como “precificar” estes papéis, um sistema de leilão de compra dos ativos será criado, fazendo com que a concorrência entre as empresas determine um “preço de equilíbrio”, evitando assim que se pague um preço inadequado pelos ativos.

RELACIONADOS

Deixe um comentário