Resultado é 20% menor do que a captação líquida registrada no mesmo mês do ano passado

A caderneta de poupança captou R$ 1,9 bilhão em fevereiro, já descontados todos os saques feitos. De acordo com o Banco Central, o resultado é 20% menor do que a captação líquida registrada no mesmo mês de 2013, quando houve um recorde.

Fevereiro é um mês em que geralmente são registrados mais saques do que aportes na capitação mais popular do país. O comportamento do correntista é justificado pelos altos gastos no início do ano como a compra de material escolar e impostos.

Mesmo assim, os depósitos feitos no mês passado e R$ 3,5 bilhões de rendimentos creditados fizeram com que o saldo da poupança chegasse a R$ 608 bilhões. Esse é o valor do que os brasileiros têm guardado na aplicação.

Além dos gastos típicos de início de ano, há um outro fenômeno que influencia a caderneta de poupança: o aumento dos juros básicos da economia promovido pelo Banco Central. Com essa alta, fica mais vantajoso para grandes investidores voltarem a aplicar em fundos de renda fixa.

Esses fundos perderam clientes na época dos juros baixos e refugiaram-se na poupança para garantir o melhor desempenho para os recursos. Agora, pequenos e médios investidores continuam com dinheiro na poupança porque não têm acesso às taxas de administração mais baixas.

Fonte: O Globo

Deixe um comentário