Presentes para o Dia das Mães podem ter até 70% de impostos embutidos

Que os produtos têm pesada carga tributária no Brasil, já não é mais novidade, no entanto, a cada data festiva, quando o cidadão vai às compras, ainda é surpreendido ao saber o quanto de tributos deve pagar em cada item consumido. Perto do Dias das Mães, o comprador poderá desembolsar até 70% somente em impostos, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT).

De acordo com o IBPT, quem optar por um presente mais supérfluo para mãe como um perfume nacional, a mordida será de 69,13%. Para quem está precisando adquirir ou trocar produtos mais essenciais, como um lava-louças, vai pagar 48% de imposto se o preço for R$ 1 mil, ou seja, R$ 480. Caso o presente seja um televisor de R$ 1.500, o consumidor assumirá 45% em tributos, ou R$ 675. O cálculo foi realizado pelo portal Lupa no Imposto.

O IBPT informou também que se o brasileiro quiser ainda homenagear as mães com itens de maquiagem, 51,04% do valor do produtos irá para os cofres públicos; se optar por uma joia, a carga tributária é de 50,44%, e no aparelho de MP3, 49,45%. Outras opções de presentes pesquisados pelo instituto também carregam um elevado percentual tributário: bolsa de couro, 41,52%; câmera fotográfica, 44,75%; e celular, 39,80%.

Caso opte por levar a família ao restaurante nesta data, 32,31% da conta do almoço ou jantar, incluindo os serviços do estabelecimento, corresponderá aos tributos. Se o presente escolhido para homenagear as mães seja um buquê de flores, 17,71% do valor será destinado ao governo.

“Os diversos processos de industrialização e o fato de serem considerados bens supérfluos fazem com que esses itens tenham uma tributação elevada”, explica o presidente do IBPT João Eloi Olenike. Segundo o executivo, a partir de 10 junho de 2013, o contribuinte terá condições de saber a carga tributária embutida nos produtos e serviços que consome, uma vez que entrará em vigor nesta data a Lei nº 12.741/12, que obriga as empresas a informarem os tributos incidentes ao consumidor final.

RELACIONADOS

Deixe um comentário